quinta-feira, 26 de junho de 2014

Lista: Os 10 maiores trios do rock
quinta-feira, junho 26, 2014


Guitarra, baixo e bateria. Parece fácil, mas montar um power trio é algo para poucos. Tanto é que não existem tantos trios no rock. É necessário muito entrosamento e pelo menos um integrante que cante bem - a menos que a proposta seja instrumental.

Os trios selecionados abaixo são competentes, deixam o som bem cheio mesmo com três integrantes e, de certa forma, mudaram alguma coisa na música de uma forma geral. É sempre necessário lembrar que se trata de uma lista e listas são, geralmente, subjetivas. Se você discorda de algum selecionado e acredita que outros nomes deveriam rechear a publicação, deixe nos comentários!

10) The Police: Apesar de pouco reconhecido entre os roqueiros mais ávidos, por estar ligado ao new wave, o The Police é um bom trio de rock n roll. Com composições versáteis, que transitam entre o post-punk, o pop rock, o new wave e até o reggae e o jazz, ambos de forma mais suave, o The Police foi uma das atrações de maior sucesso na década de 1980.



9) Green Day e Blink 182: Sim, um empate! Mas não te enganei, caro leitor. São onze escolhidos, mas os que estão na nona posição são bem semelhantes. Os dois trios ajudaram a levantar o pop punk nas décadas de 1990 e 2000. Curiosamente, poucos percebem que em ambos os grupos, os músicos envolvidos são de muita qualidade. Billie Joe Armstrong se destaca no Green Day, pela qualidade como compositor. Já no Blink 182, Travis Barker é o integrante mais técnico. Mas nos dois conjuntos, o entrosamento entre os envolvidos é a característica mais impactante.



8) Wolfmother: Da atualidade, talvez o Wolfmother seja o melhor dos trios no rock n roll. Por um momento, "traíram o movimento" e contaram com um guitarrista base, Aidan Nemeth, na formação. Mas em grande parte da trajetória, tiveram a característica de um bom power trio: um frontman enérgico, sincronia entre guitarra e baixo, bateria solta e canções que aparentemente surgiram de jams.



7) ZZ Top: Rock n roll em sua forma mais pura. É essa a proposta do ZZ Top, trio que faz justiça à tradição rústica do sul dos Estados Unidos. Das barbas de Billy Gibbons e Frank Beard aos riffs e solos de guitarra: temos aqui um trio autenticamente roqueiro. E vale ressaltar: a formação é a mesma desde 1969.



6) Grand Funk Railroad: "Não é possível falar do rock da década de 1970 sem mencionar o Grand Funk Railroad". David Fricke, jornalista da Rolling Stone, está correto. Mesmo tendo "traído o movimento" e se tornado quarteto e quinteto em determinadas fases da carreira, o Grand Funk Railroad fez seus trabalhos definitivos e explodiu como trio. O blues rock visceral do legendário grupo liderado por Mark Farner lotou arenas nos anos 1970 e continua influente até os dias de hoje.



5) Nirvana: Provavelmente o trio mais conhecido por aqui. Não está no topo porque, em termos de consistência na discografia, acredito que outros mereçam melhores posições. Mas a importância do Nirvana é imensurável para o rock. São muitos os relatos de quem viveu a época da explosão do trio liderado por Kurt Cobain. E grande parte desses depoimentos mostram que, de fato, o Nirvana salvou o rock n roll do ostracismo e da proximidade com o pop. O grupo liderou o grunge, movimento que deu um tapa na cara e jogou lama na indústria fonográfica.



4) Motörhead: Apesar de também ter "traído o movimento" em alguns (poucos) anos de sua trajetória e contado com dois guitarristas na formação, o Motörhead é um legítimo trio rock n roll. Liderado pelo lendário Lemmy Kilmister, o grupo é um dos mais influentes entre as bandas de heavy metal e praticamente criou o thrash metal, posteriormente desenvolvido por Metallica, Slayer e outros.



3) Rush: Dos trios presentes na lista, é o mais técnico e habilidoso. Muitas vezes, nem parece que se trata de um trio. Parece até um quinteto ou sexteto. Geddy Lee, o frontman, canta e toca baixo e teclados. Neil Peart, além da bateria, assume o carrilhão de orquestra e diferentes tipos de percussão. Influente, o Rush trouxe o rock progressivo a um nível inimaginável e praticamente criou o metal progressivo.



2) Cream: A mistura entre o blues e o psicodélico parecia inimaginável até o surgimento do Cream. O trio não apenas aliou os dois elementos, como também trouxe pitadas de jazz e criou a gênese do heavy metal. Com uma line-up de monstros, composta por Eric Clapton (guitarra e vocal), Jack Bruce (baixo e vocal) e Ginger Baker (bateria), não poderia ser diferente. O trio influenciou diversos estilos de rock e metal a partir da década de 1970.


1) Jimi Hendrix Experience: O trio liderado por Jimi Hendrix proporcionou uma evolução do que foi proposto pelo Cream anteriormente, mesmo sendo praticamente contemporâneos. E mais: criou novos clichês no rock n roll que até hoje são utilizados. Hendrix, de fato, ensinou o mundo como tocar guitarra de verdade. O mundo da música foi profundamente modificado por conta desse homem. Noel Redding (baixo) e Mitch Mitchell (bateria) não ficam para trás: souberam, como ninguém, dar o subsídio necessário para a concretização do brilho de um dos maiores guitarristas, se não o maior, da história. Tanto é que o projeto posterior de JImi, Band Of Gypsys, não chegou ao nível do Experience. Primeiro lugar é pouco.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.