sexta-feira, 6 de junho de 2014

Vídeos racistas de Justin Bieber caem na internet; cantor pede desculpas
sexta-feira, junho 06, 2014


Dois vídeos em que o cantor Justin Bieber faz comentários racistas foram divulgados na internet nesta semana.

A primeira filmagem divulgada foi feita durante as gravações do documentário "Never Say Never", quando ele tinha 15 anos. A segunda foi registrada no ano anterior, enquanto ele registrava uma versão para a música "One Less Lonely Girl".

No primeiro vídeo divulgado, ele conversa com alguns amigos e cita várias vezes a palavra "nigga", que é um termo preconceituoso para "negro" em inglês. No segundo, durante a canção "One Less Lonely Girl", ele substitui o termo "girl" (garota) por "nigga". Ele também brinca que vai se aliar à Ku Klux Klan (KKK), organização segregadora que apoia a supremacia da raça branca.

Bieber se pronunciou com um pedido de desculpas para ambos os vídeos. Em relação ao primeiro, ele disse: "Eu era criança e não entendia o poder de algumas palavras. Achava que não tinha problema em falar coisas pejorativas". Sobre o segundo, ele falou: "Foi muito difícil enfrentar meus erros de anos atrás. Mas agora preciso assumir a responsabilidade por esses erros", além de citar um trecho da Bíblia.

Os vídeos foram publicados pelo site de fofocas norte-americano TMZ. Antes de enviar os registros à redação do TMZ, o sujeito responsável pela divulgação das gravações tentou extorquir Justin Bieber em US$ 1 milhão. Os representantes do artista, que foram contatados pelo indivíduo, não cederam à pressão nem mesmo quando a oferta foi reduzida pela metade.

Ironicamente, Justin Bieber foi alavancado por um cantor negro: Usher. No início da carreira, Bieber foi levado até a cidade estadunidense de Atlanta para conversar com Usher, que facilitou a contratação dele pela Island Records em meados de 2009.

Assista aos dois vídeos, na sequência em que são descritos na notícia:


Categoria:
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.