terça-feira, 8 de julho de 2014

Do rock ao reggae/ska, Zignal lança o CD “Virado”
terça-feira, julho 08, 2014



Zignal é uma gíria baiana que significa “dar o perdido”, assim quando se está em uma balada e fala para a mulher que vai ao banheiro e já volta. Mas você não vai, “dá o zignal”. “Esse é o nome da banda porque queríamos dar o perdido na cena do rock atual, no padrão geral que estava rolando”, disse Tom, vocalista da banda. É ambiciosa a ideia de “dar um zignal” no cenário musical, sintetizada na explicação desse nome, dada pelo músico em entrevista ao CORREIO de Uberlândia. Mas o Zignal trabalhou por mais de um ano em “Virado” (Independente, R$ 19,90), lançado no último dia 22, com grandes objetivos.

É complicado dizer qual a origem da banda. Tom é de Patos de Minas, mas foi, em Brasília, que conheceu o baixista Gringo ainda no colegial, em 2007. O Zignal estava formado, mas com outra formação. Em 2010, a banda se mudou para São Paulo a convite de um empresário. “Tivemos a proposta de gravar com o produtor Rick Bonadio. Só viemos Gringo e eu, então conhecemos aqui o Guino (baterista) e o Pablo (guitarrista)”, disse Tom.



“Virado” é essencialmente orientado pelo rock, com influências de bandas brasileiras. Mas há reggae, ska e algumas melodias orientadas para o pop rock no álbum. “Saímos com o CD nas mãos sem pensarmos em nossas músicas tocando nas rádios. Mas entrou e também está na ‘Em Família’ (novela do horário das 21h da TV Globo). Deu um gás muito bom.”, afirmou o vocalista se referindo a música “Reggae do Horto”.

Pretensão

A música que integra a trilha sonora da novela “Em Família”, da TV Globo, “Reggae do Horto”, segundo Tom, abriu muitas portas para o Zignal. “Ter o espaço para apresentar o trabalho é o mais difícil no Brasil. A música entrou na novela e foi muito bem recebida. Conseguimos ter acesso a muitas pessoas que naturalmente não teríamos”, disse.



O Zignal pretende alçar voos maiores com “Virado”. “Espero que daqui dois anos eu esteja tocando no “Rock In Rio”. Sonho muito alto”, disse o cantor, que acredita na eternidade do rock enquanto estilo musical. “É um gênero eterno. Depende só de uma música legal e de uma oportunidade de mostrá-la para a galera. O ciclo do rock está voltando”, afirmou.

Social

A proposta do Zignal transcende a música. Os integrantes da banda também querem “dar um zignal” no ensino da arte do Brasil. Eles conciliam compromissos de shows e aparições na mídia com o projeto “Rock Escola”, feito em parceria com a Rádio Transamérica. Os músicos dão palestras artísticas em escolas da cidade de São Paulo para falar da importância da poesia, da música, das artes plásticas e também do meio ambiente.

A ideia surgiu justamente pelo rock não estar em evidência na mídia, de acordo com Tom. “Além de tocarmos e falarmos de todos esses elementos da arte, nós plantamos uma árvore. Sabemos que o rock não tem tanto destaque porque não há mesmo boas bandas para se escutar. Queremos ajudar a resolver a carência artística na juventude”, afirmou.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.