segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Os 25 anos de "Trouble Walkin'", o disco que resume Ace Frehley
segunda-feira, outubro 13, 2014


Ace Frehley: "Trouble Walkin'"
Lançado em 13 de outubro de 1989

É consensual: Ace Frehley permanece como o integrante do KISS que mais influenciou jovens na postura de um ídolo, de um deus em seu instrumento. Foi citado como referência por uma série de guitarristas consagrados, de Mike McCready (Pearl Jam) a Dimebag Darrell (Pantera). Tinha potencial para brilhar em uma carreira solo, certo?

Errado. Ace Frehley é o único responsável pelo fracasso comercial de sua carreira solo. Apesar da genialidade, provavelmente não estava preparado para o sucesso na década de 1970. Primeiramente com problemas alcoólicos, depois passou para as drogas e nelas permaneceu até o fim dos anos 2000 (nas palavras dele).


Paul Stanley e Gene Simmons poderiam até ficar um pouco enciumados com o sucesso que Ace Frehley conquistou em 1987, com o primeiro disco do Frehley's Comet. O sucesso foi moderado, mas a qualidade do material é matadora. Mas o segundo álbum, "Second Sighting", refletiu o que os ex-colegas já sabiam: Ace era um cara problemático. Começou a dar trabalho para produzir e excursionar, tanto que "Second Sighting" tem, claramente, a chefia de seu braço direito, o vocalista e guitarrista Tod Howarth.

O Spaceman, então, decidiu encerrar o Frehley's Comet e trabalhar em carreira solo de vez. Tod Howarth e o baterista Jamie Oldaker abandonaram o barco. Respectivamente, Richie Scarlet e Sandy Slavin/Anton Fig assumiram o posto. O produtor Eddie Kramer, que dá a liga perfeita com Ace Frehley, voltou a trabalhar com o guitarrista. Tudo certo no roteiro.


Ao menos musicalmente, "Trouble Walkin'" foi um sucesso. É o único disco de Ace Frehley pós-1978 que consegue recuperar a essência de seu primeiro álbum solo, que se destacou em meio aos outros lançamentos simultâneos dos outros integrantes do KISS. O hard rock setentista, visceral e com um pé no blues foi repaginado e gerou, sem exageros, um dos melhores trabalhos que já ouvi em vida. Sem músicas ruins ou mal colocadas.

Apesar de todos os êxitos artísticos, "Trouble Walkin'" fracassou comercialmente. Foi o último disco solo de Ace Frehley em 20 anos - o hiato acabou em "Anomaly", de 2009. O Spaceman passou a fazer turnês esporádicas em casas menores até reunir com o KISS, em 1996. Sabe-se que ele não estava sóbrio em seu retorno, pois grande parte das apresentações feitas entre 1990 e 1995 mostraram um Ace por vezes bêbado ou chapado. Triste.


Valem os destaques para a paulada "Five Card Stud", o cover de "Hide Your Heart" (também utilizado pelo KISS no álbum "Hot In The Shade", lançado dias depois), a naturalmente clássica faixa título, a bluesy "Remember Me" e a visceral "2 Young 2 Die", que mostra o brilho de Richie Scarlet. "Trouble Walkin'" é um dos poucos discos realmente irretocáveis no rock e mostra o potencial que Ace Frehley nem sempre aproveitou durante sua sinuosa trajetória.


Ace Frehley (vocal, guitarra)
John Regan (baixo)
Richie Scarlet (guitarra, vocal)
Anton Fig (bateria)
Sandy Slavin (bateria)

Músicos adicionais:
Peter Criss (percussão, backing vocals)
Sebastian Bach - backing vocals)
Dave Sabo - backing vocals)
Rachel Bolan (backing vocals)
Peppi Castro (backing vocals)
Al Fritsch (backing vocals)
Pat Sommers (backing vocals)

01. Shot Full Of Rock
02. Do Ya
03. Five Card Stud
04. Hide Your Heart
05. Lost in Limbo
06. Trouble Walkin'
07. 2 Young 2 Die
08. Back To School
09. Remember Me
10. Fractured III


Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.