terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Irmãos menos famosos de rockstars que também são músicos
terça-feira, dezembro 02, 2014


É normal que filhos de rockstars sigam o mesmo caminho dos pais. Mas e quando os irmãos seguem trajetórias semelhantes? O rock tem alguns casos curiosos de irmãos menos famosos de estrelas do rock que também são músicos. Uns ótimos, outros nem tanto. Confira:

Robert Sarzo: o irmão de Rudy Sarzo (Quiet Riot, Whitesnake, Ozzy Osbourne) seria o substituto de Randy Rhoads na banda de Ozzy, que já contava com Rudy à época. O guitarrista poderia ter ficado famoso. Ele foi contratado pelo Madman e por Sharon Osbourne, mas o empresário Don Arden, dono da Jet Records e pai de Sharon, vetou: contrataram Bernie Torme sem contarem para ninguém. Apesar disso, Robert construiu carreira no hard rock e heavy metal: tocou no Hurricane e atualmente está no Geoff Tate’s Queensrÿche, além de manter um projeto solo.



Johnny Araya: o irmão mais novo de Tom Araya (Slayer) também é baixista e também toca em uma banda de muito peso: o Thine Eyes Bleed, de melodic death metal. Além disso, vez ou outra trabalha como técnico de guitarra de Kerry King. Não é mais famoso que o irmão, também, por ser mais novo e ter começado a carreira musical de fato um pouco mais tarde (o primeiro disco do Thine Eyes Bleed é de 2005).



Tony Cavazo: o irmão mais velho de Carlos Cavazo (Quiet Riot, Ratt) é baixista e integrou, por um momento em 1981, o Quiet Riot. O mais próximo que chegou a ser notado no mercado musical foi com o Hurricane, ao lado de Robert Sarzo e do grande vocalista Kelly Hansen, hoje no Foreigner. Atualmente, Tony está reunido com o Snow, sua primeira banda, ao lado do irmão Carlos.



Bob Kulick: um dos casos mais icônicos da lista, Bob Kulick é o irmão mais velho de Bruce Kulick (KISS). Ele fez teste para entrar na banda dos mascarados em 1973, mas perdeu para Ace Frehley. Em 1982, quase assumiu a vaga deixada por Frehley, mas não conseguiu, pelo mesmo motivo que o impediu em 1973: o visual. O carequinha, então, recomendou o próprio irmão durante as sessões do disco “Animalize”, em 1984. Por lá, Bruce ficou até 1995. Bob não é tão desconhecido como os demais dessa lista: tocou com Lou Reed, W.A.S.P., Meat Loaf, Michael Bolton, Paul Stanley, Blackthorne, Alice Cooper (a maior parte em estúdio ou banda de turnê). Além disso, é produtor.



Dave Spitz: o irmão mais novo de Dan Spitz (Anthrax) é baixista e integrou bandas reconhecidas. Além da passagem pelo Black Sabbath entre 1985 e 1987, ele tocou com Great White, White Lion, Impellitteri, Nuclear Assault e McBrain Damage. No entanto, não conseguiu se firmar em nenhum dos grupos por muito tempo.



Deborah Bonham: a irmã (bem) mais nova de John Bonham (Led Zeppelin) é cantora de blues rock. Ela começou a carreira com um disco lançado em 1985, “For You And The Moon”, após ser encorajada por Robert Plant a mandar uma fita demo anonimamente para uma grande gravadora. Só voltou a lançar discos em 2004, com “The Old Hyde” – durante todo o tempo e, também nos dias de hoje, prefere fazer turnês.



Leon Hendrix: o irmão mais novo de Jimi Hendrix tem muitas coisas em comum com a lenda do rock: também é guitarrista e também sofreu com problemas envolvendo drogas. Chegou a ser preso algumas vezes e travou diversas batalhas judiciais com Janie Hendrix, sua irmã adotiva, por direitos sob a obra de Jimi. Além da música, Leon é desenhista, tendo trabalhado para a Boeing por muitos anos.



Zeno Roth: o irmão mais novo de Uli Jon Roth (Scorpions) também é guitarrista, além de poeta e escritor. Ele tem cinco discos lançados que seguem a linha de Uli: hard rock neoclásico. O alemão ganhou fama no Japão, onde mora atualmente e trabalha em novos projetos musicais.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.