sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Peso comercial: hard n' heavy melódico da Addicted To Pain tem potencial
sexta-feira, dezembro 05, 2014


Addicted To Pain: "Queen Of All Lies" (2014)

O Addicted To Pain tem uma escalação de músicos conhecidos na cena metálica. O baixista Fabio Carito (Shadowside) e o baterista Marcus Dotta (Skin Culture), que integraram a banda de Warrel Dane, uniram forças com o vocalista João Paulo Pretti e, anteriormente, com o guitarrista Lucas Godoy para formar o grupo. Após a gravação do EP, Thiago Oliveira, também ex-Warrel Dane, passou a integrar a formação.

Com músicos rodados, a expectativa em torno da banda paulista cresce. E o EP "Queen Of All Lies", que tem participação de Junior Carelli (Noturnall) nos teclados, não decepciona. A banda bebe na fonte de influências mistas, como o hard rock melódico atualmente praticado especialmente em território europeu e leves pitadas de heavy metal e power metal. O grupo já trabalha em um disco full-length, mas lança neste sábado (6) o EP. Pude conferir o material com exclusividade e, abaixo, traço minha análise.

A música "The Kings Never Die" abre o disco com um riff irresistível de Lucas Godoy na guitarra. A faixa segue os padrões do hard rock contemporâneo, típico de lançamentos da Frontiers Records - apesar deste EP ser independente. A voz de João Paulo Pretti, que aparentemente tem um background no metal melódico é doce até demais. Faltou um pouco de agressividade, imagino.


O início abafado de "Street Of Forgotten Dreams" logo descamba para uma canção pesada e cadenciada. O refrão é gostoso e seria tipicamente AOR se houvesse um teclado ao fundo. As guitarras de Lucas Godoy se mostram poderosas aqui. A acelerada faixa título do EP tem a habilidosa performance de Marcus Dotta na bateria como destaque. O músico dá show e é devidamente acompanhado pelo baixo de Fabio Carito.

"Angel In My Mind" tem um frescor que me atraiu desde o trecho inicial, guiado pelos teclados. É um som forte, melódico, de impacto. É um hard n' heavy moderno. A performance instrumental é ótima: além das boas linhas de guitarra, a bateria cresce nos momentos que deve e o baixo tem destaques pontuais. 

O único ponto que pode ser melhorado é, sob meu ponto de vista, a morna performance de João Paulo Pretti. Faltou soltar a voz. Reforço que, em certas nuances, a ausência de agressividade deixou uma lacuna. Talvez a restrição da língua - dá para notar o sotaque forte - tenha atrapalhado. Mas em um primeiro registro, não vejo como um problema, muito menos como um elemento que não possa ser trabalhado em gravações futuras.

No entanto, o potencial da Addicted To Pain foi apresentado com êxito no EP "Queen Of All Lies". O cartão de visitas mostra que o quarteto tem qualidade para ter grande projeção, já que as composições são comerciais na medida certa e o instrumental é bastante coeso.

Nota 7,5

João Paulo Pretti (vocal)
Lucas Godoy (guitarra)
Fabio Carito (baixo)
Marcus Dotta (bateria)

Músico adicional:
Junior Carelli (teclados)

01. The Kings Never Die
02. Street Of Forgotten Dreams
03. Queen Of All Lies
04. Angel In My Mind

Observação: O Addicted To Pain lança hoje em São Paulo (SP) o EP "Queen Of All Lies", em um show no Gillan's Inn. Veja o serviço:

Addicted To Pain: lançamento de "Queen Of All Lies"
Horário: 22h.
Local: Gillan's Inn - rua Marquês de Itu, 284, Vila Buarque - São Paulo (SP).
Ingresso: R$ 20.
Informações: (11) 3129-8710.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.