sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

"Roqueiro acha que pega mal se associar ao sertanejo", diz Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial
sexta-feira, janeiro 30, 2015


Durante entrevista concedida ao site Terra, o vocalista Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, debateu sobre a atual situação do rock, especialmente em relação aos fãs do estilo.

A opinião do cantor é um pouco forte em relação ao tema. Dinho Ouro Preto acredita que os fãs de rock se restringem demais ao estilo e, ainda, segregam vários grupos entre os subgêneros. "Eles só ouvem rock e não querem saber dos outros estilos, acha que pega mal se associar ao sertanejo ou outros ritmos. O rock é sectário dentro do próprio rock. O cara que toca metal não gosta do cara do hard rock. Não têm esse espírito de cooperação que você dentro da música sertaneja. É surreal", afirmou.

A desunião do rock, segundo Dinho Ouro Preto, atinge as próprias bandas. "Os próprios sertanejos bombados puxam os mais novos e fazem a renovação. O que passa batido pelos roqueiros é o fato que você mede a saúde do gênero com sangue novo. Quer saber se o rock está bem? Não é levar o disco do Capital porque nós temos o nosso público. Já estamos estabelecidos", disse.

O cantor utilizou o exemplo da banda Malta, vencedora do reality show SuperStar, da TV Globo, onde o próprio Dinho Ouro Preto foi jurado. O disco de estreia do grupo foi o mais vendido do Brasil nos meses de setembro e outubro de 2014, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD) e da Nielsen. "Vemos que no SuperStar quem ganhou foi uma banda de rock, a Malta. Entende que ainda tem público? Claro que é um pop rock, mas foi o disco brasileiro mais vendido e ninguém do rock enalteceu isso", concluiu.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.