sexta-feira, 31 de julho de 2015

Estudo aponta que gosto musical revela como as pessoas pensam
sexta-feira, julho 31, 2015


Você sabia que fãs de punk, metal e gêneros mais pesados são mais sistemáticos, enquanto admiradores de sons mais leves, como R&B e folk, têm mais empatia?

Esse foi o resultado obtido por uma pesquisa realizada pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra. De acordo com o estudo, publicado na plataforma Plos One, o gosto musical de uma pessoa pode entregar evidências sobre sua forma de pensamento e vice-versa, o que mostra a relação entre algo sempre considerado inconsciente, como a preferência musical, e a racionalidade. Apesar disso, os cientistas admitem: os critérios para isso não são muito claros.

Para a pesquisa, quatro mil participantes foram recrutados e submetidos a diferentes testes. Entre as questões, foram perguntados se gostavam de design e construção de motores de carro, se tinham habilidades em prever o sentimento de outras pessoas e algumas investigações mais específicas para descobrir se eram mais empáticos ou sistemáticos. Por fim, trechos de músicas foram reproduzidos, para que manifestassem seus interesses.

As pessoas classificadas com um índice favorável de empatia se inclinaram a estilos como R&B, soft rock e folk. Exemplos como "Hallelujah", na versão de Jeff Buckley, e "Come Away With Me", de Norah Jones, se enquadraram no gosto desse perfil. Já para quem foi descrito como sistemático, a preferência para músicas como "Enter Sandman", do Metallica, foi maior.

E você, é empático ou sistemático?



Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.