quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Música + futebol: relembre momentos e personagens do "Rockgol", da MTV
quarta-feira, agosto 05, 2015


Um dos programas mais antológicos da TV fechada brasileira foi o "Rockgol", da MTV Brasil. Foi apresentado e narrado por Paulo Bonfá e Marco Bianchi no ano de 1997 e, em sua melhor fase, de 1999 até 2008. O campeonato consistia em times compostos por músicos e cantores disputando partidas de futebol.

A união entre música e futebol só poderia dar em humor. Os apelidos atribuídos aos músicos que chamavam a atenção - por habilidade com a bola ou por completa falta de técnica - eram o destaque do programa, além dos lances bizarros que aconteciam durante as partidas.

Relembre alguns mitos do "Rockgol" e lances curiosos do torneio:

Cléééééééston: o DJ Cléston, do Detonautas, era como o deus do campeonato. Era um bom goleiro e ainda tinha lampejos quando jogava na linha, o que era demais para o nível técnico do "Rockgol". Os delírios de Paulo Bonfá e Marco Bianchi com as atuações do músico são inesquecíveis.


Chiliquenta: Toni Garrido, vocalista do Cidade Negra, era conhecido por reclamar o tempo todo durante as partidas - e depois, com as zoações de Paulo Bonfá e Marco Bianchi, também. O apelido ingrato o perseguiu durante um tempo e ele chegou a não participar mais do campeonato por um longo período. Seria um chilique mesmo?

James MacDowell, o Gigante Irlandês: a descrição criada para Jimmy London, vocalista do Matanza, o sintetiza. O gigante chegou a ter uma briga (sabe-se lá se foi real mesmo) com Di Ferrero, cantor do NX Zero. Veja:


Rufus, o Lenhador: Júlio Cezar, baixista do Catedral, recebeu o apelido em lembrança ao personagem do desenho "A Corrida Maluca". Não era dos melhores goleiros. Suas cuecas frequentemente apareciam, o que gerou a propaganda "Cuecas Rufus: as cuecas que fazem de tudo para aparecer".

Jesus, Jesus Jr e Musa Nissei-Sansei: três integrantes do Shaman tinham apelidos bem curiosos. Luís (baixista) e Hugo Mariutti (guitarrista) eram, respectivamente, Jesus e Jesus Júnior. Já Andre Matos, vocalista, era a Musa Nissei-Sansei, um goleiro com mil graus de miopia. Apesar da qualidade questionável enquanto boleiros, conquistaram um campeonato.


Chernobyl: o guitarrista Fredi Endres, da Comunidade Nin-Jitsu, virou uma das figuras mais folclóricas do programa. Chegou a fazer uma tatuagem com o nome do apelido, em função do corte de cabelo curioso em uma cabeça quase careca. Tentaram mudar o apelido do goleiro para Fukushima nas edições já sem Paulo Bonfá e Marco Bianchi, mas o mesmo não permitiu a mudança.

Juninho Papito: Supla era um dos melhores jogadores do campeonato - e, obviamente, um dos mais peculiares, em função do misto visual + trejeitos + expressões.


Wolverine Valadão e Tiozão do Churrasco: Nasi, vocalista do Ira!, era um misto entre Wolverine e Valadão Rodolfo, pelo visual típico. Já Guilherme Morgado, baterista do Catedral, ganhou o apelido de Tiozão do Churrasco pela postura pouco combativa no campo. Eram, provavelmente, os piores goleiros do campeonato. Mas o carisma desses ícones no torneio era imbatível.


Felipe Dylon: a zoeira com o até então astro teen era enorme. Mas ele marcou o milésimo gol do campeonato e, desde então, foi lembrado pelo feito. Rolou até festa no gramado no dia do tento marcado.

Roger: o frontman do Ultraje A Rigor era um dos piores atacantes do torneio. Em função disso, ganhou até um merchan personalizado durante as transmissões: "sabonete Roger: pra você que vive na banheira".


Boina: Gilmar Bolla 8, da Nação Zumbi, era outro pouco habilidoso. No caso, era goleiro e só jogava com boinas bem peculiares.

Max Telefone de Contato: Max, do DMN, se enrolou uma vez para dar o seu telefone de contato em uma entrevista. O apelido pegou. E ele é responsável por essa pintura abaixo:


Rockgol - realizado na MTV Sports Arena, de Birigui; Estádio Municipal Mané Pipoca; e Estádio Municipal Reynaldo Gianecchinni, o Reynaldão.

Com os patrocínios de: 
- Paulo Bonfá´s Ringling Brothers Rock Gol Capilar Consultants 
- Aguardente Curió 
- Amendoim Joãoponês 
- Sorveteria Macho Man: para você que só toma com duas bolas 
- Birigui Booster The Maximum Isotronic: a primeira água em pó do mundo - basta adicionar água 
- F.O.F.A. (Federação Organizada de Futebol Alternativo) 
- Funerária Um Irmão: antes, eram dois 

Para fechar, uma seleção com alguns dos gols mais bonitos do campeonato:

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.