quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Os 10 melhores discos de rock/metal lançados em 2015
quarta-feira, dezembro 23, 2015


2015 volta a destacar os novos nomes do rock e metal. Já não me importa muito se os medalhões não entregam algo consistente como até três anos atrás, pois as bandas emergentes (e até alguns projetos paralelos) estão em ascensão e dominam esse top 10.

Atenção: não consegui definir uma ordem. Por isso, a lista está em ordem alfabética e não de preferência.

Angra - "Secret Garden": O melhor trabalho da banda brasileira desde "Temple Of Shadows", de dez anos atrás. Com músicas mais introspectivas e um peso que estava se tornando raro no Angra, "Secret Garden" se destaca por soar inspirado.


Backyard Babies - "Four By Four": Apesar da lista não estabelecer uma ordem, já adianto que esse foi um dos meus favoritos entre todos. Os anos de separação fizeram muito bem ao Backyard Babies. A fórmula não mudou muito: hard rock com pegada punk e refrães fortes. A inspiração lá no teto é que ditou o ritmo. Todas as músicas são realmente boas (até as baladas) e é isso que vale.


Ghost - "Meliora": A evolução do Ghost em "Meliora" é incrível. O som está mais pesado, o baixo aparece mais e as guitarras disparam ótimos riffs. O grupo, porém, foge da mesmice que se tornou o metal ultimamente - especialmente pela voz afável de Papa Emeritus.


Imperial State Electric - "Honk Machine": A reunião do Hellacopters deve fazer bem aos envolvidos, mas me entristece pelo risco de dar fim ao Imperial State Electric. Em seu quarto disco, a banda apresenta uma mistura sensacional entre rock clássico e o power pop da década de 1960. Mais um álbum onde todas as músicas são realmente boas.


Joel Hoekstra's 13 - "Dying To Live": Notável por trabalhos solo instrumentais, o novo guitarrista do Whitesnake resolveu colocar voz por aqui. E escolheu os monstros Russell Allen e Jeff Scott Soto para se alternarem. Além disso, montou um repertório que transita muito bem entre o hard melódico e o heavy metal. O resultado é fora de série.


Richie Kotzen - "Cannibals": Richie Kotzen conseguiu, no mesmo ano, decepcionar com o novo do The Winery Dogs e lançar um dos melhores trabalhos de sua extensa discografia solo. "Cannibals" é pulsante. O misto entre hard rock, funk, soul e R&B praticado pelo músico nunca deu errado, mas deu ainda mais certo por aqui - muito em função do ótimo repertório do álbum.


Santa Cruz - "Santa Cruz": Dá para dizer que o Santa Cruz só é farofa no visual. O som é pesado e flerta com o metal contemporâneo, apesar dos ganchos típicos do hard rock oitentista e do sleaze rock. Filhos bastardos do Skid Row de "Slave To The Grind". Ainda não chegaram ao nível ideal de maturidade musical e precisam dispensar alguns clichês, mas estão próximos disso. E o que fizeram já é digno de estar nessa lista.


The Darkness - "Last Of Our Kind": O quarteto responsável por dar sobrevida ao hard rock no início dos anos 2000 precisava se reinventar. Em "Hot Cakes" (2012), falhou, mas "Last Of Our Kind" é um tiro certeiro. A mistura entre AC/DC e Queen que consagrou o grupo ainda se faz presente. No entanto, a banda liderada pelos irmãos Hawkins faz uso de elementos do folk bretão, do rock das rádios dos anos 1980 e um pouco de pop rock.


The Night Flight Orchestra - "Skyline Whispers": "AOR vintage" - essa é a melhor forma que encontrei para definir o The Night Flight Orchestra. Em "Skyline Whispers", a banda, que conta com integrantes do Soilwork e Arch Enemy, constrói arranjos melódicos de forma sublime em todas as suas músicas. O disco soa grandioso do início ao fim e é um dos destaques dessa lista.


We Are Harlot - "We Are Harlot": Com uma proposta mais agressiva, o hard rock do We Are Harlot traz a mistura entre o frescor do contemporâneo e o brilho dos dias de ouro do rock de arena. Danny Worsnop, conhecido por ser vocalista do Asking Alexandria, mostra a sua verdadeira voz por aqui - e agrada muito. O repertório também é consistente, com músicas grudentas. Banda promissora.


Outros 10 álbuns que poderiam estar na lista (também em ordem alfabética):

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.