segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Por onde anda o Guns N' Roses que tocou, 15 anos atrás, no Rock In Rio 2001?
segunda-feira, janeiro 11, 2016


O ano era 2001. Axl Rose, enfim, volta a se apresentar com o Guns N' Roses. Oito anos após os últimos shows da banda, Rose apareceu ao público mais cheinho, com a voz menos potente e acompanhado de outros músicos, diferentes da época de consagração, entre o fim dos anos 1980 e início da década de 1990.

Mas ainda era Axl Rose. Se ele deveria estar carregando ou não o nome Guns N' Roses, isso é assunto para outra hora. Mas em janeiro de 2001, finalmente, o cantor estava de volta aos palcos.


O retorno teve início no dia 1° de janeiro de 2001, em um show no House Of Blues de Las Vegas, nos Estados Unidos. Duas semanas depois (e há praticamente 15 anos), o Guns N' Roses estava de volta a um dos maiores festivais do mundo, o Rock In Rio, que chegava em sua terceira edição.

Cerca de 250 mil pessoas estavam na Cidade do Rock para ver Axl Rose. Houve quem gritasse por Slash e pelos outros músicos que se consagraram no Guns N' Roses. Mas Axl surgiu com Buckethead, Paul "Huge" Tobias, Robin Finck, Tommy Stinson, Bryan "Brain" Mantia, Dizzy Reed e Chris Pitman. Com exceção de Reed, que trabalha com o GN'R desde 1990, tratava-se de músicos desconhecidos e até desconexos entre si - um shredder, um industrial, um punk e por aí vai.

Veja também: 
Em extensa entrevista, Axl Rose fala de Guns N' Roses, AC/DC e mais
Em agosto de 1992, um desastroso show conjunto de Guns N' Roses e Metallica
- Tommy Stinson, o baixista que mais tempo ficou no Guns N' Roses

Você sabe o que Axl Rose está fazendo hoje em dia - ao lado de Slash, Duff McKagan e outros, incluindo Dizzy Reed e, supostamente, Chris Pitman. Mas onde foram parar os demais músicos que marcaram a volta do Guns N' Roses ao Rock In Rio e, de certa forma, aos palcos mundiais?

Descubra:


Buckethead: esteve com Axl Rose de 2000 a 2004 e é um dos grandes colaboradores do álbum "Chinese Democracy", lançado quatro anos após sua saída. Saiu alegando estar cansado da incapacidade do Guns N' Roses em finalizar o disco e qualquer turnê que fosse. Desde então, envolveu-se em dezenas - sim, dezenas - de outros projetos, como parcerias com Bryan "Brain" Mantia, Travis Dickerson, Viggo Mortensen e novas bandas que, quase sempre, contavam com pelo menos um desses citados como envolvidos. Manteve, também, uma carreira solo produtiva - até demais -, com 237 álbuns lançados a partir de 2005 e 250 na contagem total.




Paul "Huge" Tobias: o guitarrista amigo de infância de Axl Rose, que supostamente causou uma briga entre o cantor e Slash, esteve no Guns N' Roses de 1994 a 2002 - justamente o período mais tumultuado e menos produtivo da banda. Saiu no ano em questão porque o GN'R estava retomando o ritmo e tinha aversão a turnês. Ainda assim, manteve a sua amizade com Rose e colaborou com "Chinese Democracy". É quase impossível dizer por onde Paul Tobias, visto que, desde então, praticamente desapareceu da imprensa.




Robin Finck: conhecido anteriormente por ter sido guitarrista de turnês do Nine Inch Nails, Finck esteve no Guns N' Roses de 1997 a 1999 e, depois, de 2000 a 2008. A primeira saída, na verdade, foi apenas um fim de contrato, enquanto a segunda foi atribuída ao desejo de Robin voltar ao NIN. Continuou próximo de Axl Rose e tocou "Better" em um show da banda em 2012. Após sair do GN'R, envolveu-se em colaborações com Cee-Lo Green e Gary Numan, contribuiu com o álbum de estúdio "The Slip", do Nine Inch Nails, e segue integrando a line-up de turnês do projeto de Trent Reznor.




Tommy Stinson: esteve com Axl Rose de 1998 até este ano, quando deu lugar ao retorno de Duff McKagan. Antes de se juntar ao Guns N' Roses, foi integrante do The Replacements, banda que se reuniu entre 2012 e 2015. Em uma recente entrevista, Stinson disse que as sessões de estúdio para um novo disco do Replacements não funcionaram e que as composições devem ser aproveitadas em um futuro disco solo, com data ainda não anunciada.




Bryan "Brain" Mantia: esteve com Axl Rose de 2000 a 2006. Saiu do Guns N' Roses após o nascimento de sua filha. Após deixar o grupo, seguiu fazendo na área na qual já trabalhava anteriormente, como baterista de estúdio e de turnês. Além disso, envolveu-se em vários projetos de música experimental - muitos deles com Buckethead. Também atua como produtor e compositor. Entre 2013 e 2014, trabalhou com a banda The Crystal Method em um disco de estúdio e shows de divulgação, incluindo uma aparição no programa de Jimmy Kimmel.




Dizzy Reed: fiel escudeiro de Axl Rose, está no Guns N' Roses desde 1990. Paralelamente à banda, integra o The Dead Daisies (com Richard Fortus, Marco Mendoza e John Corabi) e tem um projeto de covers de hard rock, chamado Hookers N' Blow. Gravou participações especiais em discos de Duff McKagan, Gilby Clarke, Slash's Snakepit, Motörhead, Backyard Babies e Bang Tango, entre outros. Também trabalhou como ator no filme "Charlie's Death Wish".




Chris Pitman: esteve com Axl Rose desde 1998 até este ano. Paralelamente ao Guns N' Roses, comanda projetos de música eletrônica, como Blowout, Beatrazr, I/Hate Structure, entre outros. Sua permanência no grupo foi descontinuada após a reunião ter sido anunciada. Segundo ele, em publicação no Twitter, os empresários pediram para que ele apagasse todos os posts relacionados ao assunto.


Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.