quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Em entrevista revivida na web, cantor do Raça Negra fala sobre jabá de rádios: "sem-vergonhice"
quinta-feira, fevereiro 18, 2016


Um trecho de uma entrevista feita com a banda Raça Negra tem sido bastante visualizado e compartilhado nas redes sociais desde a semana passada. O fragmento foi retirado de um episódio do programa "Entrevista Record Música", exibido em novembro de 2010, no canal de TV Record News.

Durante a atração televisiva, o apresentador Marco Camargo perguntou se o samba e o pagode têm sofrido com o excesso de cantores e grupos no meio. O vocalista Luiz Carlos disse que, assim como acontece no sertanejo atualmente, o pagode/samba contou, ainda na década de 1990, com uma série de artistas que montavam projetos e pagavam para ter circulação de suas músicas no rádio. "O que o cara faz? Ele pega um amigo e vai cantar. Um faz segunda, o outro faz terceira, quarta, quinta... parece marcha de carro. O perigo é isso: tem muita gente boa, mas tem muita gente ruim, e às vezes o cara tem um dinheirinho, o pai tem e o cara que tem talento, não tem espaço porque tem que pagar", afirmou.

De acordo com Luiz Carlos, as estações de rádio cobram jabás (valores em dinheiro em troca de reprodução de músicas) até de artistas iniciantes. "Chega no rádio, o cara tá com o disquinho dele, fez aquilo com um sacrifício danado, e o cara-de-pau do rádio tem coragem de cobrar R$ 60 mil reais do cara, para tocar [a música dele por] três meses. Coitada da mãe e da família do cara, ligando [para a rádio] todo dia, [porque] se não houver pedido, para. Como que o cara que está começando tem que pagar?", disse.

O cantor do Raça Negra revelou uma conversa que teve com Jorge Aragão, na qual destacaram a importância da renovação do cenário artístico. "Ele disse isso, que não tem renovação, e a renovação é importantíssima, para a música, para a cultura, ter coisas novas e boas. Mas hoje não é o cara que tem talento. É muito triste falar isso, mas a matéria-prima do rádio é o artista e eles estão pisando em cima do artista, pedindo dinheiro. Então acho de uma sacanagem e sem-vergonhice tremenda. Quando o cara já tem um nome, ele faz um show, dá para a rádio, tem como se virar. Mas o cara está começando e já se pede dinheiro para ele. Agora, quem tem dinheiro, o pai do menino tem, o cara é bonitinho, não canta porcaria nenhuma, vai lá, paga e o cara toca", afirmou.

Apesar de ter sido exibido em 2010, o trecho do programa foi compartilhado na semana passada por uma página na rede social Facebook e, desde então, registrou mais de 385 mil visualizações e 4,8 mil compartilhamentos. Confira:



Luiz Carlos Soltou O Verbo, Rádios !!
Publicado por Resenha do Samba em Sexta, 12 de fevereiro de 2016
Categoria:
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.