segunda-feira, 25 de abril de 2016

Prince deixa fortuna de R$ 1 bilhão sem herdeiro
segunda-feira, abril 25, 2016


Morto na última quinta-feira (21), Prince terá a sua fortuna envolvida em um provável imbróglio. O cantor não deixou filhos - ou seja, não tem herdeiros - e nenhum testamento foi localizado até o momento.

O patrimônio de Prince é estimado em US$ 300 milhões, cerca de R$ 1 bilhão na cotação atual. O cantor foi casado duas vezes, com as atrizes Mayte Garcia (de 1996 a 1999) e Manuela Testolini (de 2001 a 2006), e o seu único filho, Boy Gregory, concebido com Mayte Garcia, faleceu poucos dias após ter nascido, em função de uma doença rara.

Apenas uma irmã de Prince, Tyka Nelson, de 55 anos, está viva. No entanto, ele também tinha cinco meios-irmãos, filhos de seu pai ou de sua mãe, ambos já falecidos. Apesar das especulações que dão a entender que a fortuna irá para Tyka Nelson, as leis de Minnesota, estado dos Estados Unidos onde o músico morava, dão igualdade de direitos aos meios-irmãos caso não exista nenhum testamento.

Caso exista algum testamento, é possível que Prince tenha optado por deixar parte de sua fortuna para o Salão do Reino que frequentava. O músico se tornou Testemunha de Jeová em 2001 e auxiliava a igreja regularmente.

Autópsia 

Uma autópsia foi realizada no corpo de Prince na última sexta-feira (22). O cantor foi encontrado morto em casa, aos 57 anos. De acordo com autoridades de Minnesota, as hipóteses de suicídio ou assassinato foram descartadas até o momento, pois não havia traumas no corpo do músico. O resultado completo deve ser divulgado em algumas semanas.
Categoria:
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.