sábado, 2 de julho de 2016

Alice Cooper: os 25 anos de "Hey Stoopid"
sábado, julho 02, 2016


Alice Cooper - "Hey Stoopid"
Lançado em 2 de julho de 1991

A década de 1980 foi difícil para Vincent Damon Furnier. Os álbuns não atingiam o patamar que desejava, nem musicalmente, nem comercialmente, e Vincent sofria de sérios problemas de alcoolismo. Pouco após as gravações de "DaDa", em 1983, voltou a ser hospitalizado por conta do abuso do álcool - algo peo qual ele já havia passado anteriormente na segunda metade dos anos 1970.

Mas os anos 1980 foram cruciais para que o homem por trás da máscara provasse ao mundo quem ele era. Após um hiato de mais de dois anos, eis que Alice Cooper voltou sóbrio para uma turnê e com um novo álbum, "Constrictor", que marcou um retorno mais concreto. A partir daí, Cooper se renovou e lançou dois discos bem alinhados com o som praticado à época: "Raise Your Fist And Yell" e "Trash", que fizeram muito sucesso.


A retrospectiva de toda a década de 1980 faz sentido quando se entende que "Hey Stoopid" é um trabalho de consolidação. Trata-se de um disco certeiro com relação ao que se propõe.

A pegada de "Hey Stoopid" é semelhante ao que Alice Cooper vinha praticando em discos anteriores, como "Trash". A diferença é que o trabalho é menos orientado ao pop. Há alguns elementos da incursão anterior ao hair metal, mas são poucos.


Além de contar com uma banda de apoio, composta por Stef Burns na guitarra, Hugh McDonald no baixo, Mickey Curry na bateria e Derek Sherinian nos teclados, Alice Cooper chamou a turma toda para fazer participações especiais. Ozzy Osbourne, Slash e a dupla Nikki Sixx e Mick Mars, do Mötley Crüe, são só alguns dos nomes que colaboram com "Hey Stoopid".

Comercialmente, "Hey Stoopid" não chegou ao nível arrasa-quarteirões "Trash", mas obteve um bom desempenho. Embalado pela faixa título, o trabalho conquistou disco de ouro nos Estados Unidos e prata no Reino Unido em pouco tempo.

Além da canção que dá nome ao álbum, meus destaques particulares vão para a super-balada "Love's A Loaded Gun", a cadenciada "Might As Well Be On Mars", a peculiar "Wind-Up Toy" e a paulada "Feed My Frankenstein", com direito a um dueto de Steve Vai e Joe Satriani.


Alice Cooper (vocal)
Stef Burns (guitarra)
Hugh McDonald (baixo)
Mickey Curry (bateria)
Derek Sherinian (teclados)

Músicos adicionais:
Joe Satriani (guitarra em 1, 4, 7, 9 e 12)
Ozzy Osbourne (backing vocals em 1)
Slash (guitarra em 1)
Steve Vai (guitarra em 7)
Nikki Sixx (baixo em 7)
Vinnie Moore (guitarra em 8 e 11)
Mick Mars (guitarra em 10)
John Webster (teclados em 1, 2, 3, 4, 7, 9, 10 e 12, órgão em 5)
Robert Bailey (teclados em 2, 5, 6, 7 8, 10 e 12)
Jai Winding (teclados em 6)
Chris Boardman (arranjo de cordas em 6)

01. Hey Stoopid
02. Love's A Loaded Gun
03. Snakebite
04. Burning Our Bed
05. Dangerous Tonight
06. Might As Well Be On Mars
07. Feed My Frankenstein
08. Hurricane Years
09. Little By Little
10. Die For You
11. Dirty Dreams
12. Wind-Up Toy


Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.