sexta-feira, 1 de julho de 2016

Disco de estreia do Inglorious apresenta hard rock vintage e sedutor
sexta-feira, julho 01, 2016


Resenha: Inglorious - "Inglorious" [2016]

Não gostei tanto do Inglorious de início. Antes de conferir o disco de estreia dos caras, ouvi alguma música no YouTube e me parecia algo genérico, sem pegada.

No entanto, deu para perceber que Nathan James era um grande vocalista. O cantor já trabalhou com o Trans-Siberian Orchestra e com a banda de turnê de Uli Jon Roth, além de ser figurinha carimbada em talent shows do Reino Unido, como as edições locais de "The Voice" e "Superstar".



Decidi dar uma segunda chance - e não me arrependi. A impressão que tive do Inglorious mudou logo quando dei o play em "Until I Die", a primeira música do disco de inéditas da banda. Com exceção de alguns momentos de inconstância, todo o álbum é muito bom.

Claramente capitaneado pela voz de Nathan Jones, o Inglorious é mais uma daquelas boas bandas de hard rock que deixam o canto em evidência. Bebe nas fontes de Whitesnake, Led Zeppelin, Bad Company e Deep Purple nos seus momentos mais "pedrada". É tradicionalmente britânico e não se aventura em nada muito moderno - o que, nesse caso, soou bem.



As guitarras de Andreas Erikson e Wil Taylor, aparentemente bem divididas em um também tradicional esquema entre solo (Erikson) e base (Taylor), também se sobressaem. Os riffs presentes nas 11 faixas de "Inglorious" são caprichados.

Entre os meus destaques particulares, estão a já mencionada paulada "Until I Die", a agitada "Breakaway", a lenta "Holy Water" - na qual Nathan James praticamente brinca com as cordas vocais -, a intensa "Warning" e a incrível balada acústica "Wake".

O Inglorious estreia bem e deixa o seu cartão de visitas, com as impressões digitais de suas influências. Talvez precise de mais do que uma proposta vintage para se tornar uma espécie de "salvação do rock". Mas talvez eles não queiram isso.

Nota 8



Nathan James (vocal)
Andreas Eriksson (guitarra)
Wil Taylor (guitarra)
Colin Parkinson (baixo)
Phil Beaver (bateria)

01. Until I Die
02. Breakaway
03. High Flying Gypsy
04. Holy Water
05. Warning
06. Bleed for You
07. Girl Got a Gun
08. You’re Mine
09. Inglorious
10. Wake
11. Unaware

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.