sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Conheça as raízes heavy metal do Charlie Brown Jr.
sexta-feira, agosto 26, 2016


O Charlie Brown Jr. se notabilizou por ser a primeira banda de skate punk no Brasil a fazer sucesso de verdade.

Evidentemente, o CBJr misturava outras influências, algo natural se considerarmos que o skate punk não é uma criação nacional - logo, é praticado de forma híbrida por aqui. Ou seja, há elementos de rap e reggae em sua sonoridade. Ainda assim, é uma banda de rock com bases fincadas no skate punk.

No entanto, poucos sabem que as raízes do Charlie Brown Jr. estão ligadas, também, ao heavy metal. Há pistas de que o metal esteve presente na formação dos músicos, mesmo em seus momentos mais distantes do gênero.

A própria história aponta a conexão entre Charlie Brown Jr. e o metal. A carreira musical do vocalista Chorão começou ainda no fim dos anos 1980. No início da década seguinte, ele conheceu Champignon, até então com apenas 12 anos, e, juntos, formaram a banda What's Up.

Não há registros da What's Up disponíveis na internet, mas a banda, segundo relatos. praticava um som ligado ao thrash metal, hardcore e crossover. As letras eram em inglês e a pegada era semelhante a de bandas como Biohazard e Suicidal Tendencies.

O Charlie Brown Jr. foi, enfim, montado em 1992, com o baterista Renato Pelado e os guitarristas Marcão e Thiago Castanho. Pelado era fã de bandas de rock progressivo, como Rush, e Marcão e Castanho gostavam de nomes como Steve Vai e Yngwie Malmsteen.

Como é possível notar pelas influências citadas, os três estavam de olho nos nomes que eram referências técnicas em seus instrumentos. Não à toa, são músicos muito técnicos, que sempre demonstraram domínio enquanto tocavam.

A sonoridade híbrida do Charlie Brown Jr. ganhou força com o próprio background de Chorão, que também gostava de hip hop e de bandas como Sublime, Bad Brains e Rage Against The Machine. Ou seja: uma baita salada mista.

As misturas musicais, porém, não se faziam presente nos primeiros anos de banda. Em um trecho de um clipe divulgado no programa "A tarde é sua", de Sônia Abrão (prima de Chorão), é possível ver os músicos do grupo tocando um som pesado e ostentando cabelos longos.



Confira a primeira demo do Charlie Brown Jr., ainda com uma sonoridade mais pesada:



A partir do primeiro disco do Charlie Brown Jr., "Transpiração Contínua Prolongada" (1997), a mistura de influências tomou conta. Esse foi, de certa forma, um dos pontos de consagração da banda, visto que, com um mix de hardcore, pop rock, hip hop e reggae, o som adquiriu características únicas.

No entanto, momentos isolados da trajetória do Charlie Brown Jr. apontam o gosto do grupo por sons mais pesados. Seja por solos de Marcão ou Thiago Castanho ou por passagens rítmicas, especialmente, de Renato Pelado.

Na discografia, o momento mais claro é "Malokero Sk8 Board", do álbum "Tamo Aí Na Atividade" (2004). É quase um thrash metal. "Liberdade Acima de Tudo", de "Imunidade Musical" (2005), também tem um peso peculiar, que caminha para o nu metal.





Já as músicas "Fichado", do disco "Nadando Com Os Tubarões" (2000), e "Tarja Preta", do álbum "Bocas Ordinárias" (2002), mostram o apreço do grupo por nomes como Rage Against The Machine. Não é algo exatamente heavy metal, mas, com certeza, soa mais pesado do que os hits da banda.





Veja também:

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.