quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Blaze Bayley concorda que "The Angel And The Gambler" é longa demais
quarta-feira, dezembro 21, 2016


O vocalista Blaze Bayley falou, em entrevista ao EonMusic, sobre uma das músicas mais criticadas da história do Iron Maiden: "The Angel And The Gambler". A canção está presente em "Virtual XI" (1998), segundo e último disco da banda com Bayley no microfone.

As principais críticas em torno de "The Angel And The Gambler" giram em torno de seus repetitivos nove minutos e 51 segundos de duração. E Blaze concordou que a canção é um pouco prolixa.

"Tínhamos uma versão em vídeo encurtada de 'The Angel And The Gambler' e senti que era mais apropriada. Há grandes momentos naquela música e geralmente, em meu set acústico, fazemos uma versão dela. Fica divertido. Mas a versão do disco, sinto que é muito longa", afirmou.

O entrevistador questiona se ninguém comentou sobre isso com Steve Harris. Blaze diz: "Você diz 'está muito longa', mas sem argumentos sobre isso, e eles dizem 'vamos tentar, estou convencido de que é assim'. E então está no disco, e você não pode adaptar ou mudar. Isso geralmente acontece na indústria musical: você grava algo, é prensado, você está ensaiando e aí nota 'acho que a versão do álbum é muito longa' (risos)".

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.