segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Phil Anselmo rebate críticas de Scott Ian e Robb Flynn por racismo
segunda-feira, dezembro 19, 2016


O vocalista Phil Anselmo rebateu as críticas feitas por Robb Flynn e Scott Ian após a ocorrência de racismo ocorrida no Dimebash, em janeiro de 2016. Na ocasião, Anselmo havia feito uma saudação nazista com o braço direito e gritado um bordão em prol da supremacia branca.

Em entrevista ao programa de rádio de Eddie Trunk, Phil Anselmo relembrou os comentários feitos por Rob Flynn e Scott Ian, mas criticou a postura desses músicos, que se diziam seus "colegas".

"Esses que se dizem colegas - suas palavras -, que me detonaram, precisam se olhar no espelho. Qualquer um que diz a palavra 'racismo' ou 'racista' tão levianamente precisa entender as implicações. É pesado me acusar disto, especialmente se você não sabe nada sobre mim exceto que você me viu em alguns shows, clipes, entrevistas... e fora deste momento que foi resultado de um senso de humor negro - e, na época, eu estava meio raivoso, meio brincando -, antes do show, Doug Pinnick (King's X), um homem negro e gay, disse 'olá' para mim. Beijei-o nos lábios porque estou confortável com minha sexualidade. Ele disse, 'seu gosto é bom', e era sobre o vinho branco. Eu disse, 'deve ser o meu poder branco, hahaha'. Foi uma piada. E esses colegas - suas palavras - pegaram isto."

Veja também: O heavy metal é racista, machista, xenofóbico, homofóbico e intolerante com religião

"Todos que já conheceram Robert (Flynn) sabem que esse cara fica me observando, fica sentado no canto me observando e quando a gente está no palco juntos, sabe? É isso, ele quer se beneficiar do meu sucesso. Então, fez um vídeo de 11 minutos sem saber nada de mim exceto o Pantera e isso ou aquilo. Creio em liberdade de expressão, sendo brincadeira ou não."

"Toda esse papo de eu ser racista é enfurecedor, porque é mentira. E eu gostaria de virar e dizer: 'ei, o que você fez pela nossa comunidade, Robert? Se você vai ficar me criticando por este ato supostamente absurdo, o que você fez? Sei o que eu fiz'."

"No dia seguinte do que aconteceu, o Scott Ian falou 'Phil..'. Ele me escreveu um e-mail dizendo 'o que vi foi feio' e isso e aquilo. E isso vindo do cara que em 1985 lançou um álbum chamado 'Speak English Or Die' ('Fale Inglês ou Morra', álbum do S.O.D.). Se este álbum tivesse saído este ano ou no anterior, pode esquecer. Você acha que ele seria criticado? Claro que seria e ele sabe disso. 'E se você está arrependido, doe para esta instituição em prol da causa judaica anti-nazista' ou sei lá. Fiz isso na hora. Você soube disso? Claro que não. E sabe por que? Não gera boas manchetes. Doei naquela hora senão naquele segundo."
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.