terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Duas mulheres conduziram a reunião do Guns N' Roses; saiba quem são
terça-feira, janeiro 03, 2017


Em um trecho de seu novo livro, 'Last Of The Giants: The True Story of Guns N' Roses', o jornalista e escritor Mick Wall revelou que duas mulheres foram responsáveis pela reconciliação de Axl Rose e Slash. A situação fez com que o guitarrista e Duff McKagan retornassem ao Guns N' Roses.

Segundo Mick Wall, essas mulheres são Meegan Hodges e Erin Everly. Meegan foi a namorada de Slash antes do Guns N' Roses decolar. Eles terminaram em meados de 1988, mas reataram recentemente, após o guitarrista se divorciar de Perla Hudson. Já Erin Everly esteve junto de Axl Rose de meados de 1985 até 1991, quando se divorciou do cantor um ano após o casamento.

Leia abaixo:

"Com Axl informando aos outros membros da formação reconfigurada do Guns N' Roses que 'o calendário estava vazio' após o último show em 2014, havia um evento bem mais sísmico no horizonte, como muitas outras coisas relacionadas à novela Guns N' Roses, era óbvio no momento se você estivesse prestando atenção.

Em 30 de dezembro de 2014, Slash entrou com um pedido de divórcio de sua esposa, Perla Hudson, com quem esteve por 13 anos. O casal havia se separado antes, em 2010, mas logo se reconciliou. Desta vez, era permanente. Segundo documentos, o casal se separou seis meses antes.

Logo depois, Slash arrumou uma nova namorada, Meegan Hodges - a mesma pela qual ele se apaixonou enquanto adolescente, mas se afastou pela sua própria sanidade quando o Guns N' Roses decolou, e a mesma que era muito amiga de Erin Everly e estava prestes a desempenhar um papel trivial no futuro de Slash e seu antigo inimigo, Axl Rose.

[...]

Voltar com Meegan destrancou outra porta para Slash, segundo Alan Niven, antigo empresário do Guns N' Roses. 'Meegan tinha sua melhor amiga morando em Atlanta, chamada Erin Everly. Logo, Erin e Axl estavam conversando de novo. Foi a semente para fazer Axl e Slash se falarem de novo. Foram Erin e Meegan.'

A ideia de Axl considerar uma reunião também foi apoiada por Ricky Warwick, ex-vocalista do Almighty e atual integrante do Black Star Riders. Quando o Riders ainda era um Thin Lizzy reformado, em 2012, e excursionou com o Guns N' Roses, Ricky e Axl ficaram amigos. 'Axl era realístico com relação à possibilidade de reunião. Deixava no ar. Ele tinha boas lembranças e deixava que a vida o conduzisse até isto. Não dizia que só rolaria sob seu cadáver', disse Warwick, em entrevista à Classic Rock.

Em 2015 e sem conhecimento geral, Axl, Slash e Duff já se falavam, embora através de seus advogados e empresários. Segundo Alan Niven, que se mantém próximo a Slash, 'Duff fez a maior parte do trabalho de comunicação naquela época'. Marc Canter, antigo amigo da banda, reforçou que o baixista foi o principal pacificador. 'Duff foi uma grande parte deste retorno. Ele estava trabalhando com Axl novamente e era um bom intermediador. Não havia mais ninguém que comunicasse com Slash e Axl. Quando Axl desabafou sobre Slash, Duff pode ajudá-lo a ver as coisas pelos olhos de Slash', disse Canter.

Ao mesmo tempo, tanto o Guns de Axl quanto o projeto solo de Slash estavam prestes a lançar DVDs, ambos com clássicos do GN'R no repertório que precisavam da autorização de cada um deles para serem lançados. Axl jamais teria autorizado Slash a este privilégio, mas, desta vez, autorizou sem objeções."
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.