terça-feira, 14 de março de 2017

Há 35 anos, o Metallica fazia seu primeiro show
terça-feira, março 14, 2017


O Metallica nasceu promissor. Antes mesmo de formar a banda, o baterista dinamarquês Lars Ulrich pediu para participar da futuramente lendária coletânea "Metal Massacre", da Metal Blade Records. E o fundador do selo, Brian Slagel, aceitou.

Em 1981, Lars Ulrich publicou um anúncio no jornal The Recycler, de Los Angeles, dizendo que estava em busca de músicos para tocar canções de Tygers Of Pan Tang, Diamond Head e Iron Maiden. Aparecearm os guitarristas James Hetfield e Hugh Tanner, do Leather Charm. Apenas a presença de Hetfield vingou.

A base do Metallica se formou em outubro de 1981, cinco meses após Lars Ulrich e James Hetfield terem se conhecido.  Em outro anúncio, no mesmo Recycler, apareceu o guitarrista Dave Mustaine. Por fim, veio o baixista Ron McGovney. Estava oficialmente formada a banda de maior sucesso comercial da história do metal.

O primeiro show do Metallica aconteceu em 14 de março de 1982. É como o marco zero da banda, que ainda não havia nenhum registro em estúdio e ainda construía um repertório autoral. A apresentação aconteceu no Radio City Club, em Anaheim, região metropolitana de Los Angeles, na Califórnia.


Bandas lendárias se apresentaram neste mesmo local nos primórdios de suas carreiras. Entre elas, estão o Mötley Crüe, em 1981; o Saxon, em 1982; o Red Hot Chili Peppers e o Bangles, em 1983; o Stryper, em 1984; e o Guns N' Roses e o Slayer, em 1985.

O Radio City deixou de funcionar em 1985 e foi impedido de operar em abril de 1986. A casa de shows acumulava boletins policiais e notificações de barulho excessivo.

O repertório do Metallica naquela noite de 14 de março de 1982 foi composto, basicamente, por covers. Apenas duas músicas autorais já estavam prontas para performance: "Hit The Lights" e "Jump In The Fire". O restante do set é de versões do Diamond Head, Savage e Blitzkrieg. Veja:

01. Hit the Lights
02. Blitzkrieg (Blitzkrieg cover)
03. Helpless (Diamond Head cover)
04. Jump in the Fire
05. Let It Loose (Savage cover)
06. Sucking My Love (Diamond Head cover)
07. Am I Evil? (Diamond Head cover)
08. The Prince (Diamond Head cover)
09. Killing Time (Sweet Savage cover)

Em entrevista à Guitar World, James Hetfield relembrou que havia muita gente na pequena casa de shows. "Haviam muitos ali, talvez uns 200, porque levei todos os meus amigos de escola e também foram todos os amigos de Lars, Ron e Dave", afirmou.

Curiosamente, James Hetfield apenas cantava naquela ocasião, enquanto Dave Mustaine era o único a portar uma guitarra. "Estava muito nervoso e um pouco desconfortável sem a guitarra. Na primeira música, uma corda de Dave arrebentou. Demorou uma eternidade para trocar e eu estava ali, totalmente envergonhado", disse.

Graças àquele show, eles ainda tentaram ter um quinto integrante, que seria um guitarrista base: Brad Parker. Não rolou. Só depois, James Hetfield começou a tocar guitarra enquanto cantava.

Em entrevista à Rolling Stone, Lars Ulrich conta que 90% dos presentes naquela ocasião eram amigos de Dave Mustaine. "Digo isto de forma positiva. Ele tinha um grande grupo social. James e eu éramos solitários, não tínhamos amigos, só a nós mesmos. Dave já tinha algum nome por ter tocado em uma banda chamada Panic", afirmou.

As coisas caminharam mais rapidamente após aquele show. A música "Hit The Lights" entrou na coletânea "Metal Massacre", cuja presença já havia sido reservada por Brian Slagel. Depois, Cliff Burton e Kirk Hammett substituíram Ron McGovney e Dave Mustaine, respectivamente, e a banda gravou "Kill 'Em All". O resto é história.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.