terça-feira, 20 de junho de 2017

Punky Meadows, o guitarrista que recusou KISS, Aerosmith e NY Dolls
terça-feira, junho 20, 2017


Nem todos conhecem o nome Punky Meadows. O guitarrista integrou a banda Angel, relativamente popular na década de 1970 por seu glam rock de pegada levemente progressiva e por todos os integrantes se vestirem de branco.

Além de seu trabalho com o Angel, Punky Meadows se destacou na mídia por ter dito que, entre as décadas de 1970 e 1980, foi convidado para integrar o KISS, o Aerosmith e o New York Dolls. Ou seja: o músico é quase uma lenda do rock. Quase.



Em recentes entrevistas, Punky Meadows contou como quase se juntou a essas bandas. São histórias curiosas e não confirmadas pelo outro lado, mas que têm grandes chances de serem reais.

Punky Meadows no New York Dolls

A primeira proposta que Punky Meadows recusou foi a do New York Dolls. O músico conta que o empresário David Krebs (Aerosmith, Ted Nugent, AC/DC, Scorpions) o conheceu após ter gravado um disco com Mickie Jones (baixista do Angel) e Ralph Morman (que viria a ser o vocalista do Joe Perry Project).

O empresário gostava de Punky Meadows e disse que gostaria de contar com Mickie e ele no New York Dolls. O guitarrista, por sua vez, disse que recusou o convite porque estava com o Angel. Ele não especifica o ano do convite, mas pode ter sido em meados de 1975, quando teve início a derrocada dos Dolls.

Punky Meadows no Aerosmith

O convite para o Aerosmith também passa por David Krebs. O empresário trabalhava para os bad boys de Boston e, em 1979, convidou Punky para trabalhar com a banda após as saídas de Joe Perry e Brad Whitford.

Outra vez, Punky disse que recusou a proposta devido ao Angel. Na época, a banda estava próxima do fim de suas atividades - encerradas em definitivo no ano de 1980 -, mas o guitarrista planejava um retorno do grupo, com outra formação, ao lado do tecladista Gregg Giuffria.

No fim das contas, a retomada do Angel não deu certo e Perry e Whitford foram substituídos por Jimmy Crespo e Rick Dufay, respectivamente.



Punky Meadows no KISS

O convite do KISS tem um tom mais curioso. O Angel integrava o cast da Casablanca Records, mesma gravadora dos mascarados. E a ideia de seu dono, Neil Bogart, era que o Angel se tornasse uma "versão boazinha" do KISS, em especial pelas roupas brancas em contraste com os trajes pretos do outro grupo.

Em outro momento da década de 1970, o baixista do KISS, Gene Simmons, chegou a negar que o Angel pudesse abrir shows da banda. O motivo nunca foi revelado, mas Punky Meadows acredita que Simmons via potencial na banda a ponto de ofuscar o quarteto mascarado.

Os destinos acabaram se cruzando após o guitarrista Ace Frehley ter deixado o KISS, no início da década de 1980. Sabe-se que a banda fez audições com dezenas de guitarristas que foram de Richie Sambora (Bon Jovi) a Steve Farris (Mr. Mister).



Com o Angel em banho-maria, Punky Meadows foi indicado para fazer um teste para o KISS. A ideia teria sido dada pelo fotógrafo Barry Levine, que trabalhava para a Casablanca. Gene Simmons teria gostado da proposta e pediu para Meadows aprender a tocar qualquer um dos lados do LP "Alive!" (1975).

Punky Meadows conta que fez o teste e foi aprovado pela banda. Quando Gene disse que ele estava dentro, o guitarrista afirmou que ainda estava com Gregg Giuffria em busca de um contrato para o Angel.

O músico afirma que Gene Simmons se sentiu tão ofendido que ele apenas disse para que Paul Stanley fosse embora com ele. Punky contou, ainda, que conversou com Eric Carr por meia hora após a audição.

Em conversa posterior, Barry Levine perguntou o que havia acontecido, pois Gene Simmons dizia, furioso, que nunca alguém havia recusado o KISS. O fotógrafo ainda mencionou que Punky receberia US$ 160 mil por ano, além de bônus. Meadows, por sua vez, afirmou que só não aceitou o convite de imediato porque precisava verificar com Gregg Giuffria antes. A vaga acabou ficando com Vinnie Vincent.



Futuro

Ainda na década de 1980, Punky Meadows deixou a indústria musical e se dedicou a outras atividades, como gerenciar seu centro estético, que oferece bronzeamento artificial, em Oakton, nos Estados Unidos. Só em 2015, ele voltou à ativa na música - no ano seguinte, divulgou o disco "Fallen Angel" e, desde então, faz shows esporádicos.



* Escrevi esse texto originalmente para o Whiplash.Net Rock e Heavy Metal.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.