quinta-feira, 20 de julho de 2017

Encontrado morto, Chester Bennington já foi abusado e lidou com vícios em sua vida
quinta-feira, julho 20, 2017


Encontrado morto nesta quinta-feira (20) conforme reportado pelo site TMZ, o vocalista Chester Bennington, do Linkin Park, lidou com diversos problemas ao longo de sua vida. O cantor revelou, em entrevistas anteriores, que sofreu com o alcoolismo e que foi abusado sexualmente na infância.

À revista Kerrang!, em 2011, Chester Bennington afirmou que foi molestado, aos sete anos, por um amigo mais velho. "Quando eu olho para trás, me lembro quando eu era jovem, quando eu era abusado, quando me lembro de todas essas coisas horríveis que aconteceram comigo, eu tremo", disse.

Sobre o alcoolismo, Chester disse que parou de beber após seis anos de vício. "Eu não bebo mais. Hoje quero ficar sóbrio. Bebi nos últimos seis anos, mas eu não quero ser mais aquela pessoa", afirmou, na época.

O divórcio de sua primeira esposa teria sido o catalisador do vício, segundo Chester. "Vivi sob efeito de álcool. Era cerveja, ou Jack com Coca-Cola, ou Jack em um copo de cerveja com gelo. Chegamos ao ponto onde minha esposa, após sete meses de casamento, disse: 'você pensa que eu não sei, que você bebe por todos esses dias?'. E eu não conseguia entender, dizendo: 'O que você está falando. Está ficando louca?'. As bebidas mais pesadas foram as que mais me destruíram", disse.

Leia também:
"One More Light" é o ponto mais baixo da carreira do Linkin Park
Chester Bennington revela por que saiu do Stone Temple Pilots
Chester se irrita com reação de fãs a "Heavy" em show do Linkin Park
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.