quarta-feira, 26 de julho de 2017

Layne Staley mudou nome do meio graças a Tommy Lee
quarta-feira, julho 26, 2017


A mãe de Layne Staley, Nancy Layne McCallum, revelou que o cantor do Alice In Chains, falecido em abril de 2002, mudou o nome do meio graças a um ídolo inesperado: Tommy Lee, baterista do Mötley Crüe. A afirmação foi feita em entrevista ao Northwest Music Scene.

Nancy revelou que o vínculo de Layne com a música começou a partir do trompete, mas que a primeira paixão foi a bateria. "Na 5ª série, ele pegou emprestado o trompete de seu tio Bob, então, foi seu primeiro instrumento. Então, nosso amigo da família, Fred, emprestou a ele um kit de bateria e ele adorou. Ele não gostou tanto de trompete", mas a bateria ele adorou", afirmou.

Ela, então, detalhou a curiosa mudança de nome. "Nosso vizinho vendeu a ele um kit de bateria e ele mudou seu nome do meio para Thomas, porque ele admirava Tommy Lee", disse.

Durante o bate-papo, a mãe de Layne Staley também afirmou que ele se aventurou nos vocais por acaso. "Havia uma pequena banda no ensino médio. O meio-irmão dele, Ken, veio em casa um dia e disse: 'Ei, meus amigos estão procurando por um cantor'. E ele disse: 'Não sou um cantor'. E Ken afirmou: 'Apenas vá e tente'. Então, ele fez teste com a banda, chamada Sleze. Layne foi o 7° a ser testado e os músicos disseram: 'Parem as audições, encontramos nosso cantor'", revelou.

O Sleze, que era um grupo de glam metal, acabou se tornando o Alice 'N Chains, que, por fim, seria a banda que todos conhecemos. "Layne também fez backing vocals para outras bandas. A cena de Seattle era bem pequena e esses garotos se ajudavam, fazendo vozes de apoio. Era uma fraternidade", afirmou.

Os 20 anos do fim do Alice In Chains - e os 10 anos do recomeço
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.