quarta-feira, 12 de julho de 2017

Quando a música e o esporte se encontram
quarta-feira, julho 12, 2017

Foto: Pexels / divulgação
A música é algo poderoso e praticamente impossível de ser ignorada. Elemento marcante na cultura de qualquer país, ela está presente na vida da maioria das pessoas. Não há dúvidas de que música e esportes estão fortemente ligados – ambos estão relacionados a eventos cheios de vida, que aproximam as pessoas, estão sempre presentes em celebrações e são duas das formas mais populares de entretenimento.

Atualmente, a imagem de todos os tipos de atletas entrando em arenas de competição usando seus fones de ouvido é uma das mais comuns no meio esportivo. Nas Paralimpíadas Rio 2016 um nadador chegou a quase entrar na piscina usando seus fones. Até os jogadores de poker têm suas próprias playlists especiais para ajudá-los durante os jogos.

Dessa forma, não importa se sua modalidade esportiva é física ou mental, os ritmos estarão presentes e não apenas como forma de diversão – praticar esportes enquanto se escuta música é um fator que pode melhorar o desempenho atlético.

Foto: Mountain Home / divulgação
A primeira vantagem de se ouvir música durante a prática de exercícios é o poder que ela tem de mudar o estado da mente das sensações negativas para as positivas. O que ela faz, na realidade, é tirar o nosso foco da fadiga e da dor, diminuindo, assim, a percepção de esforço.

Além disso, ao escutar música, ativamos uma região do nosso cérebro chamada de núcleo accumbens, responsável por controlar a liberação de dopamina, neurotransmissor encarregado pelas sensações de bem-estar e prazer. Consequentemente, nosso humor melhora e nos sentimos mais felizes – ao mesmo tempo em que aspectos negativos como tensão, depressão e raiva são atenuados. Tal efeito pode ser facilmente percebido por aqueles que praticam modalidades como corrida, ciclismo e natação – sejam atletas amadores ou profissionais.

Além disso, algumas das nossas mais memoráveis lembranças possuem uma trilha sonora. Escutar melodias tão significativas e especiais traz à nossa mente boas recordações, fazendo com que a atividade se torna mais prazerosa e, como resultado, dure mais. O fato de escutar uma música preferida ou não também deve ser levado em consideração, pois enquanto uma canção querida tende a melhorar o desempenho nos exercícios, a seleção de músicas que não agradam colaboram para o aumento da sensação de cansaço.

A capacidade que as músicas têm de alterar o nosso humor e influenciar nosso estado emocional também as tornam muito úteis, durante os treinos e antes de competições, como uma maneira de regular a ansiedade e nos acalmar. Por outro lado, se o objetivo é se sentir mais energizado e alerta, músicas mais animadas costumam a produzir esse efeito.

Sincronizar o ritmo do que se ouve ao exercício é outra grande vantagem que pode ser extraída da música. Estudos apontam que a batida das melodias possui um efeito sobre os movimentos, ajudando a regulá-los e possibilitando que as atividades durem mais tempo, melhorando, assim, o desempenho.

Dessa forma, atletas que escutam canções de ritmo mais rápido tendem a aumentar a velocidade de suas ações - eis a razão das playlists de uma aula de spinning. Por outro lado, se o exercício requer movimentos mais lentos, graciosos e que demandam um foco maior, e exemplo da patinação artística, uma melodia mais lenta pode ajudar.

Foto: Pexels / divulgação
Além do mais, ouvir músicas com letras que descrevem o movimento físico em si, pode auxiliar o cérebro do esportista a desenvolver memória muscular, pois a mente faz associações mais eficazes quando temos algo reforçando o objetivo físico.

Além ser capaz de influenciar o desempenho dos atletas, música também é algo recorrente e importante nos próprios eventos esportivos, sendo uma das responsáveis por manter o nível de entusiasmo dos torcedores durante os intervalos.

As cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas, por exemplo, são tradicionalmente recheadas de apresentações de artistas nacionais, enquanto cada Copa do Mundo chega até a ter sua própria música oficial, como “Waka Waka (This Time for Africa)” de Shakira e "Alma e Coração”, interpretada por Thiaguinho e Projota.



Já o Super Bowl – final da NFL, principal liga de futebol americano dos Estados Unidos – tem, no seu show do intervalo, um evento a parte e tão esperado quanto a própria partida que decide o time campeão da temporada, tendo sempre grandes nomes da música fazendo performances incríveis em palcos montados no meio do campo.



A música e o esporte são dois dos grandes fatores responsáveis por influenciar significativamente a cultura popular. A combinação entre eles não poderia resultar em nada que não fosse maravilhoso.

* Texto produzido em colaboração.
Categoria:
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.