terça-feira, 8 de agosto de 2017

Grunge e problemas de saúde frearam o Cinderella
terça-feira, agosto 08, 2017


O vocalista Tom Keifer falou, em entrevista ao programa Meltdown da rádio WRIF (transcrição por Alternative Nation), sobre duas situações que mudaram a trajetória do Cinderella. São elas: o surgimento do grunge e os problemas em suas cordas vocais.

Keifer disse que, antes do grunge, "as coisas estavam indo na direção certa" para o Cinderella. "Começamos a ser headliners de turnês... na tour de 'Long Cold Winter' (álbum de 1988), abrimos algumas vezes para AC/DC e Judas Priest. Depois, começamos a excursionar como headliners para aquele álbum e também para 'Heartbreak Station' (disco de 1990)", afirmou.

No início da década de 1990, as coisas começaram a dar errado. "Na mesma época em que o grunge surgiu, a cena musical mudou e houve uma mudança na nova música, tipo 'saindo com o que é velho e chegando com o que é novo'. Ao mesmo tempo, comecei a ter problemas vocais, com uma corda vocal parcialmente paralisada", disse Tom Keifer.

Em função disso, Tom Keifer diz que os anos 1990 não foram felizes para ele. "Minha carreira estava em terreno instável, devido às mudanças no cenário musical, e, ao mesmo tempo, meu instrumento foi tirado de mim por uma condição neurológica, que disseram não ter cura e que, por isso, eu nunca cantaria de novo. Foi um momento louco, lutei e me rastejei por anos, especialmente com a voz, tentando resolver esse problema por anos", afirmou.

Veja também:
- Guitarrista diz que seus vícios foram o motivo do Cinderella nunca ter voltado
- Opinião: A turma do rock/metal não sabe envelhecer?
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.