sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Dee Snider revela por que o Twisted Sister acabou
sexta-feira, agosto 25, 2017


O vocalista Dee Snider falou, em entrevista à SiriusXM (transcrição por Blabbermouth), sobre a decisão de encerrar as atividades do Twisted Sister. O grupo deixou de trabalhar junto após uma turnê de despedida, cuja última data ocorreu em novembro de 2016.

Curiosamente, Dee Snider não mencionou em nenhum momento que a decisão teve a ver com a morte do baterista A.J. Pero, falecido em março de 2015, vítima de um ataque cardíaco. O cantor disse que o Twisted Sister chegou ao fim para que pudesse sair de cena em seu auge.

"O nível de intensidade da performance do Twisted Sister, tive que parar antes que eu não conseguisse mais entregar. O headbanging, toda a energia...", disse.

Snider citou um de seus ídolos, Alice Cooper, como exemplo. "Alice (Cooper) sempre pareceu um cara velho e ele rasteja pelo palco, isso funciona para um cara de 72 anos. Mas o que fiz não funciona para alguém com 62 anos. É muito difícil se manter em forma. Fica cada vez mais difícil", afirmou.

Dee continua nos palcos, mas as coisas funcionam de forma diferente em seu projeto solo. "O que faço agora não envolve headbanging. Meu pescoço já deu o que tinha que dar. Com o Twisted, precisava parar de bater cabeça. E no palco com o Twisted Sister, eu não poderia me apresentar sem isso", disse.

Veja também:
Mike Portnoy conta como foi o "triste fim" do Twisted Sister
Por que "We're Not Gonna Take It" foi negada a Donald Trump
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.