quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Def Leppard sequer cogitou dispensar Rick Allen após acidente
quinta-feira, setembro 21, 2017


O vocalista Joe Elliot disse, em entrevista ao G1, que ninguém do Def Leppard cogitou dispensar o baterista Rick Allen após seu acidente de carro, em 31 de dezembro de 1984. Na ocasião, o braço esquerdo do músico precisou ser amputado - foram precisos quase dois anos para que ele se recuperasse e uma versão própria fosse desenvolvida, para que, enfim, voltasse a tocar.

Conforme dito por Joe Elliot, o Def Leppard, ao ter sido formado, "não era uma iniciativa de business, não convocamos anúncios em revistas para audição de músicos ou fizemos audição como se vê hoje em dia em reality shows na TV". "Nós éramos só quatro garotos: eu, Pete Willis, Tony Kenning e Rick Savage. Nós nos juntamos apenas por diversão, para ver se poderíamos ser uma banda", afirmou.

- Veja também: Não foi acidente que fez show do Def Leppard no Rock In Rio 1985 ser cancelado

Elliot, então, cita que Steve Clark e Rick Allen se juntaram à banda. "E nos tornamos cinco caras [Kenning saiu logo no começo] meio que fazendo um som e se divertindo. E virar uma banda, talvez uma banda de verdade, conseguir um contrato para um disco, gravar, vender discos e fazer turnê - e isso aconteceu!", disse.

Como havia uma amizade por trás, os músicos não consideraram dispensar Rick Allen. "Quando Rick perdeu o braço, isso não significava que ele estava fora da banda. Porque, em primeiro lugar, nós éramos amigos; e, depois disso, músicos. Então, nós queríamos fazer de tudo para garantir que ele ficasse bem. Depois, veríamos aonde ir", afirmou.

No caso, Allen só sairia devido a uma limitação sentida por ele próprio. "Se ele virasse e nos dissesse 'não consigo mais tocar bateria', nós teríamos aceitado e procuraríamos um baterista diferente. Mas ele disse: 'Eu consigo, se vocês me derem a oportunidade de fazer isso'", disse.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.