quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Entrevista: Ryan Roxie fala de Alice Cooper, Slash's Snakepit e carreira solo
quinta-feira, setembro 21, 2017

Foto: Sophie Zander / cedida para divulgação
Ryan Roxie é um dos membros mais antigos da banda de Alice Cooper. O guitarrista entrou para o grupo em 1996 e permaneceu até 2006, quando deixou a formação. O retorno aconteceu em 2012 e Roxie garante: "onde Alice estiver, eu quero estar tocando com ele".

Em entrevista feita por Igor Miranda ao Whiplash.Net, Ryan Roxie falou sobre seu trabalho com Alice Cooper, fez comentários sobre o rei do shock rock fora dos palcos - "sequer tem ego, é muito humilde" -, conversou sobre sua carreira solo e relembrou até seu trabalho com o Slash's Snakepit, com quem gravou o álbum "Ain't Life Grand" (2000).

Alice Cooper e sua banda farão três shows no Brasil. A primeira parada é no Rock In Rio, na quinta-feira (21), ao lado de Aerosmith, Def Leppard e outros ícones. Depois, os músicos embarcam para Curitiba, com apresentação marcada para sábado (23). A tour se encerra no festival São Paulo Trip, na próxima terça-feira (26), ao lado do Guns N' Roses.

Ryan Roxie confirmou que as apresentações no Brasil contarão com todos os elementos característicos de um típico show de Alice Cooper. "Terá de tudo. Todos os hits clássicos, as cenas teatrais e algumas músicas de seu novo disco, 'Paranormal'. Levaremos todo o teatro, Alice vai ser executado no palco e voltar à vida, como ele faz em todo show", afirmou.



Para a apresentação no Rock In Rio, algo especial está programado: a participação de Arthur Brown, uma das grandes influências de Alice Cooper. "Vamos tocar um clássico de Arthur Brown, 'Fire'. Estou empolgado pela parte teatral que vai rolar. Imagine Arthur Brown pegando fogo e Alice Cooper tendo a sua cabeça cortada pela guilhotina. Será caótico!", disse o guitarrista.

Ausência em "Paranormal" devido à carreira solo

Ryan Roxie deixou sua colaboração nos álbuns "Brutal Planet" (2000), "Dragontown" (2001), "The Eyes Of Alice Cooper" (2003) e "Dirty Diamonds" (2005). Entretanto, o músico não participou do trabalho mais recente de Alice, "Paranormal". A gravação das seis cordas ficaram a cargo de Tommy Henriksen e do co-produtor Tommy Denander, além de participações especiais de Billy Gibbons, Parker Gispert e de Michael Bruce, músico da Alice Cooper Band original.

"Não pude participar porque estava ocupado gravando meu disco solo, que deve ser lançado nos próximos meses", contou Roxie, que contribuiu somente com as gravações ao vivo inseridas como faixas bônus.



Ainda sem data para ser lançado, o registro solo de Ryan Roxie será o primeiro a levar somente seu nome no título - antes, ele lançou trabalhos com a banda Roxie 77. "Esse trabalho solo é totalmente guiado pela guitarra, 'riff rock'. Quem conhece meu trabalho com as minhas bandas, percebe que sempre trago um elemento pop, cativante, inspirado por nomes como Beatles e Cheap Trick. Você ouvirá influências desses grupos no álbum, mas ele é, definitivamente, guiado por guitarras pesadas", disse o músico, que também diz não saber quando haverá uma turnê de divulgação do novo projeto.

Ouça uma faixa do projeto Roxie 77:



Paralelamente à carreira solo e ao trabalho com Alice Cooper, Ryan Roxie também oferece aulas de guitarra online, no site www.playalong.com, em um método descrito como "fácil e simples". "Ofereço três meses gratuitos para todos que quiserem. Sinto que precisamos de mais guitarristas nesse mundo para carregar a tradição e o espírito do rock and roll", afirmou.

Diferentes tipos de guitarra com Alice Cooper

Três guitarristas compõem a banda de Alice Cooper: além de Ryan Roxie e Tommy Henriksen, o grupo conta com Nita Strauss desde 2014. "Muitas pessoas a conhecem como a 'rainha do shredding'", afirmou Roxie sobre Nita Strauss.



O músico destacou que é necessário ter estilos diferentes para proporcionar as guitarras dos shows de Alice Cooper. "Ela (Nita Strauss) 'frita' toda noite conosco e complementa o estilo classic rock que Tommy (Henriksen) e eu temos. Não há só um estilo de guitarra na banda de Alice Cooper, são várias formas de tocar adotadas ao longo dos anos", disse.

Alice, o humilde

Apesar de sua figura temida nos palcos, Alice Cooper é muito elogiado dentro do showbizz, especialmente por músicos de outras bandas. E Ryan Roxie confirma: o chefe é, mesmo, gente boa.

"O Alice Cooper que você conhece fora do show é totalmente diferente daquele no palco. O Alice do palco é inconsequente, matador, uma ameaça para a sociedade. Fora do palco, é alguém com quem você quer sair para conversar, jogar golfe - algo que faço frequentemente com ele - e por aí vai. Fora do palco, Alice sequer tem um ego, é muito humilde. Já no palco, você fica com medo dele (risos). E gosto do fato de ele ser gigante nas apresentações, mas ser uma pessoa incrível fora dele", disse.

Período com Slash's Snakepit

Ryan Roxie relembrou com carinho de seu trabalho ao lado de Slash na banda Slash's Snakepit. O guitarrista participou de "Ain't Life Grand", segundo e último álbum do grupo, lançado em 2000.

"Para ser honesto, 'Ain't Life Grand' é um dos meus álbuns favoritos e tem uma das melhores gravações de guitarra de Slash. Rod Jackson canta muito bem ali e a banda funciona muito bem, as músicas foram compostas por todos", destacou.



O músico complementa: "Só gostaria que mais pessoas tivessem conhecido o álbum. Ele saiu em uma época estranha. As pessoas que puderam ter uma cópia do disco simplesmente o amaram. Todos na banda tocam muito bem ali. Fico muito feliz com o resultado final do disco, só gostaria que mais pessoas o conhecessem".

* Texto publicado originalmente no Whiplash.Net - Rock e Heavy Metal
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.