terça-feira, 31 de outubro de 2017

Bon Scott morreu de overdose de heroína, garante novo livro
terça-feira, outubro 31, 2017


Um trecho do novo livro de Jesse Fink sobre a história de Bon Scott, vocalista do AC/DC, afirma que o cantor morreu de overdose de heroína, e não por "envenenamento alcoólico agudo", como consta no atestado de óbito. A obra, intitulada "Bon: The Last Highway - The Untold Story Of Bon Scott And AC/DC's Back In Black", será lançada em novembro em diversos países, incluindo o Brasil.

Conforme apontado pelo site News.com.au, o livro afirma que a morte de Bon Scott envolveu o uso de heroína. Na noite em que faleceu, ele estava acompanhado de outros amigos viciados na mesma droga. "Basicamente, ele teve uma terceira overdose e nessa ocasião ele foi pego, é a conclusão que tiro", afirmou o autor da obra.

- Veja também: E se Bon Scott não tivesse morrido em 1980?

Outros dois livros lançados anteriormente, por biógrafos diferentes, afirmam que Bon Scott tinha problemas com heroína desde os primórdios do AC/DC. Segundo as obras, Scott sofreu duas overdoses de heroína na Austrália, em 1975 e 1976.

Bon Scott faleceu em 19 de fevereiro de 1980, aos 33 anos. O AC/DC considerou encerrar as atividades após o falecimento do cantor, mas o grupo decidiu seguir com Brian Johnson.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.