sábado, 14 de outubro de 2017

'Prefiro celebrar a vida de Lemmy do que lamentar a morte', diz Mikkey Dee
sábado, outubro 14, 2017


O baterista Mikkey Dee afirmou ter preferência por celebrar a vida de seu amigo Lemmy Kilmister, parceiro de Motörhead por décadas, do que lamentar a sua morte, ocorrida no fim de 2015. A declaração foi dada em entrevista ao vlog The Blairing Out With Eric Blair Show (transcrição por Blabbermouth).

Questionado sobre como lida com a morte de Lemmy, Mikkey Dee respondeu: "Muitas pessoas consideraram isso um desastre. Eu não. Conhecia Lemmy muito bem e pode soar estranho, mas prefiro celebrar a vida dele do que lamentar a morte. Lemmy era muito satisfeito com sua vida e ele estava para fazer 70 anos. Ele foi feliz. Claro, adoraria tê-lo por perto, mas ele teve uma ótima vida. Um desastre é quando pessoas jovens morrem, ou crianças morrem em acidentes. Lemmy teve ótimos 70 anos, da forma dele, e eu prefiro sorrir quando penso nisso".

- Veja também: Descanse em paz, Lemmy Kilmister

O baterista também citou outros amigos falecidos para reforçar sua opinião. "Fui ao cemitério ontem (com relação ao dia da entrevista) para visitar Lemmy, Ronnie (James Dio) e meu grande amigo Jimmy Bain. Sim, eu celebro a vida deles. O rock and roll foi a vida desses caras e eles eram felizes. Ronnie faleceu um pouco cedo e foi algo mais: 'o que aconteceu?'. Mas Lemmy estava mais preparado. E adoraria tê-lo por perto durante mais 20 anos, como todos gostaríamos, mas ele teve uma boa vida. Quando ele tinha 50 anos, ele me disse: 'se eu morrer amanhã, Mik, eu vivi a vida perfeita'", afirmou.

Perguntado sobre o motivo pelo qual ele acha que Lemmy é tão admirado, Mikkey Dee respondeu: "Eu não acho, eu tenho certeza. Ele era real. Era verdadeiro. Não havia nada falso nele. E ele nunca comprometeu seu modo de vida ou sua visão sobre as coisas. Era do jeito dele, do nosso, ou do Motörhead. Caso contrário, ele não se interessava".
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.