quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Homenagem da Polenguinho ao Pink Floyd é confundida com bandeira LGBT
quinta-feira, outubro 19, 2017


Uma postagem feita pela Polenguinho no Facebook tem causado polêmica nesta semana - e por um equívoco por parte de usuários da rede social. A marca fez uma homenagem ao Pink Floyd, mas alguns internautas confundiram a arte com a bandeira LGBT.

Publicada na segunda-feira (16), a homenagem feita pela Polenguinho mostra o produto alimentício recebendo a cor branca e refletindo diversas tonalidades, tal como a capa de 'The Dark Side Of The Moon', disco clássico do Pink Floyd. "Dark Side da Fominha: você não vai parar de ouvir até comer um Polenguinho", disse a publicação original.



Apesar da referência estar clara a quem conhece Pink Floyd, alguns internautas pensaram que a Polenguinho, na verdade, estava promovendo ideologia de gênero com as cores presentes na capa de 'The Dark Side Of The Moon' - que, por coincidência, são as mesmas do arco-íris e sua respectiva bandeira. "Até Polenguinho fazendo ideologias de gênero. Na boa, empresa põe arco-íris, já está incitando o fato. Menos um produto em meu lar e dos meus familiares", disse um internauta.

A página da Polenguinho no Facebook precisou se manifestar posteriormente, devido à polêmica gerada no post. "Nossa equipe teve como inspiração a capa do álbum 'The Dark Side of The Moon', da banda Pink Floyd, para 'brincar' com o conceito de fominha, tão utilizado quando o assunto é Polenguinho. Prezamos pela paz, pelo respeito e pela igualdade em nossa comunidade aqui. Embora não tenhamos feito alusão ao movimento LGBT+, temos máximo respeito pela causa", afirmou.

Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.