domingo, 1 de outubro de 2017

David Ellefson revela por que Nick Menza foi demitido do Megadeth
domingo, outubro 01, 2017


Em entrevista à revista Metal Hammer, o baixista David Ellefson revelou por que o baterista Nick Menza, falecido em 2016, foi demitido do Megadeth. Menza foi dispensado em 1998 e sua saída foi cercada de polêmicas, pois ele afirmou que tudo aconteceu dois dias após ter retirado um tumor de seu joelho.

Ellefson explica que a demissão de Nick Menza teve a ver com questões ligadas à capacidade de se apresentar. "Em 1998, ele estava lutando para fazer os shows. Houve um momento definidor em Macer, Arizona, quando olhei a ele durante 'In My Darkest Hour' e parecia que ele não estava presente. Ele estava acabado, sabe?", afirmou.

- Veja também: A 'quase entrada' de Dimebag Darrell para o Megadeth

O baixista destacou que é fã de Kiss, por isso, tentou manter a formação junta, mas "coisas acontecem". "Pessoas têm estilos de vida, fazem o que fazem na estrada. Eu estava sóbrio naquela época e agora também. Não estou aqui para policiar todo mundo. Se você estiver bem no palco, é o que importa. Se não, é um problema, e estávamos naquele ponto da turnê do 'Cryptic Writings', nos preparando para o Ozzfest, que era algo grande para nós. A transição deveria acontecer", disse.

Apesar disso, David Ellefson disse que estava "de boa" com Nick Menza em seus últimos tempos de vida. "Liguei para a família dele quando Nick faleceu. Não conversei com ele no último ano, então, liguei e ofereci ajuda para a família", contou.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.