quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Baixista de Marilyn Manson, Twiggy Ramirez nega ter estuprado ex
quinta-feira, outubro 26, 2017


O baixista Twiggy Ramirez se manifestou, na noite da última quarta-feira (25), sobre a acusação de estupro feita por sua ex-namorada, Jessicka Addams. O músico chegou a ser demitido da banda de Marilyn Manson dias após o fato ter se tornado público - embora Manson não tenha citado o caso para justificar a dispensa de Twiggy.

Em um breve comunicado, Twiggy Ramirez negou ter estuprado Jessicka Addams. "Apenas recentemente, fiquei sabendo dessas acusações de mais de 20 anos atrás. Não aprovo sexo não-consensual de qualquer forma. Vou tirar um tempo para ficar com minha família e focar em manter meus vários anos de sobriedade. Se eu causei dor a alguém, peço perdão e me arrependo de verdade", disse.

Entenda o caso

A acusação de Jessicka Addams foi feita por meio das redes sociais. Ela revelou, em uma extensa publicação, que se relacionou com Twiggy Ramirez na década de 1990, quando ela tinha 18 anos.

Segundo Jessicka, Twiggy Ramirez tornou-se fisicamente violento nos meses seguintes ao início do relacionamento. Ela relatou ter sido estuprada durante uma pausa de uma turnê feita com o Nine Inch Nails, banda com a qual Ramirez também tocava. O período do abuso não foi especificado, mas o músico integrou a banda de turnê de Trent Reznor entre os anos de 2005 e 2007.

"Ele me forçou ao chão com sua mão em volta do meu pescoço. Eu disse 'NÃO'. Disse tão alto que Pete (amigo do casal) chegou até o outro quarto para tirá-lo de cima de mim. Mas eu fui estuprada. Fui estuprada por alguém que eu pensava amar", afirmou.

Jessicka Addams contou que não fez a acusação anteriormente após a gravadora de sua banda orientar que, se o caso se tornasse público, o Jack Off Jill poderia entrar na "lista negra" de promotores de shows, da imprensa e de outros grupos e empresários. "O selo temia que a grande máquina por trás de Marilyn Manson usasse seu poder para destruir não apenas o Jack Off Jill, como também meu nome", afirmou.

A dispensa de Manson

Ao tomar consciência do caso, Marilyn Manson soltou, inicialmente, um breve comunicado afirmando que estava "triste" pelo sofrimento de Jessicka. "Sei que Jessicka e Jeordie tiveram um relacionamento romântico muitos anos atrás e considerava - e ainda considero - Jessicka como uma amiga. Não sabia de nada sobre as acusações até agora há pouco e estou triste com o óbvio sofrimento de Jessicka", afirmou.

Dias depois, pelas redes sociais, Marilyn Manson afirmou que Twiggy Ramirez estaria fora de sua banda após o fim da atual turnê, que promove o álbum "Heaven Upside Down". "Eu decidi romper os vínculos com Jeordie White enquanto membro do Marilyn Manson (banda). Ele será substituído para a próxima turnê. Desejo o bem a ele", afirmou Manson, sem citar, diretamente, a acusação feita contra Twiggy.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.