quinta-feira, 16 de novembro de 2017

'O metal de hoje é chato', diz guitarrista do Limp Bizkit
quinta-feira, novembro 16, 2017


O guitarrista Wes Borland, do Limp Bizkit, foi questionado, durante entrevista à Metal Hammer, se ele está se mantendo atualizado com relação ao metal nos últimos anos. E a resposta do músico, que hoje comanda uma banda de "comedy death metal" chamada Big Dumb Face, teve um tom, no mínimo, saudosista.

"Não, não estou interessado. Gosto de Gorgoroth e black metal, e não acho que alguém tenha conseguido algo que me faça ter vontade de parar para conferir, tal como Death e Carcass fizeram nos anos 1990", afirmou.

Segundo Borland, as bandas de metal dos dias de hoje "são chatas". "Sempre que ouço uma nova banda de metal, penso: 'não, obrigado'. Tento fazer o oposto de tudo que está sendo feito no metal, porque o metal se leva muito a sério e isso é tão estúpido. A menos que você seja Gaahl (Gorgoroth), não faça isso. Ou o Waitin - eu gosto muito do Waitin!", disse.

Em seguida, Wes foi questionado se "não ser sério demais" é o segredo para o Limp Bizkit manter-se popular. Em resposta, ele disse: "Não acho que a banda seja popular agora (risos). Ela é? Não estivemos ativos o bastante, eu acho. Gostaria que estivéssemos fazendo mais e acho que vai acontecer ano que vem".

Ele complementa: "Acho que a razão de ainda podermos fazer shows é a desvalorização da música. Toda a indústria musical está miserável e saturada. Todo mundo tem uma banda agora, mas ninguém está ganhando dinheiro com isso".
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.