quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Mike Shinoda fala sobre gravadora ter tentado tirá-lo do Linkin Park
quarta-feira, novembro 08, 2017


O músico Mike Shinoda falou, em entrevista à Kerrang! (transcrita pelo site da Gibson), sobre a ocasião em que a gravadora Warner quis tirá-lo do Linkin Park. A lealdade do falecido vocalista Chester Bennington foi tamanha que ele não concordou em dispensar o amigo.

"Quando estávamos gravando 'Hybrid Theory' (2000), éramos basicamente uma banda nova com um contrato. A gravadora poderia nos deixar a qualquer momento. Estávamos no meio das gravações quando nosso A&R (funcionário do selo responsável pelo desenvolvimento artístico dos músicos) começou a perder as esperanças em nós", contou Mike Shinoda.

O instrumentista afirmou que o funcionário da gravadora puxou Chester Bennington de lado e sugeriu que ele tomasse o controle da banda. "Ele recomendou que me colocassem nos teclados ou até me tirassem. Ele disse a Chester: 'Você é o talento, você deveria fazer um disco de rock. Não precisa do rap, não precisa do resto dos caras'", disse.

E qual foi a resposta de Chester Bennington? "Vá se f*der", segundo Mike.

Além da lealdade, Chester Bennington estava correto em termos artísticos. "Hybrid Theory" é um dos grandes discos do rap metal/nu metal e vendeu mais de 30 milhões de cópias, sendo o álbum de estreia mais comercializado no século 21.

Vale lembrar que o pedido da Warner para dispensar Mike Shinoda já havia sido revelado, anteriormente, por Chester Bennington, em entrevista concedida no ano passado.

- Leia: Gravadora queria tirar Mike Shinoda do Linkin Park
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.