quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Assédio fez jornalista abandonar entrevista com Gene Simmons nos anos 90
quinta-feira, dezembro 21, 2017


A jornalista Kathy McCabe revelou, em um artigo publicado no site do jornal australiano Daily Telegraph, que a única vez que abandonou uma entrevista foi quando conversou com Gene Simmons, vocalista e baixista do KISS. O músico, que atualmente é acusado judicialmente de assédio sexual, comportou-se de forma inadequada, segundo McCabe, durante um bate-papo na década de 1990.

"A única entrevista que abandonei até hoje foi com Gene Simmons. Foi na década de 1990 e a primeira vez que tive o desprazer de falar com o baixista do KISS pessoalmente. Já havia enfrentado Paul Stanley por telefone, regurgitando uma afirmação sexual que os dois sempre usavam quando promoviam uma turnê australiana: 'adoramos vir para a Austrália, porque somos recebidos com braços abertos e pernas abertas", contou Kathy McCabe, inicialmente.

Segundo a jornalista, Gene Simmons praticava assédio verbal em suas entrevistas, algo que se acentuou durante o bate-papo feito pessoalmente. "Eu me orgulho por pesquisar minhas entrevistas e ter páginas de perguntas para fazer a Simmons. Não importava o que eu perguntasse, eu tinha sempre a mesma resposta: 'adoro vir para a Austrália porque todas as mulheres têm seios grandes e bundas grandes'", afirmou.

Por que a caça às bruxas de Hollywood não chega aos rockstars?

Kathy McCabe revelou ter atingido seu "estopim" com o comportamento de Gene Simmons. "Seu assédio verbal chegou ao limite do profissionalismo e eu respondi que, já que eu não tinha nenhum dos dois atributos, ele poderia responder às minhas perguntas. Ele riu de mim. Fiz mais duas perguntas, ele deu a mesma resposta e eu disse que já havia perdido tempo demais. O fotógrafo que me acompanhava disse que queria esmurrar Simmons. Rapidamente o tirei dali. Fiquei feliz pelo cavalheirismo do meu colega, mas não queria que ele fosse prejudicado por um porco sexista", disse.

A jornalista relatou, em um artigo publicado em 2000, que o comportamento inadequado de Gene Simmons era frequente e que suas colegas de trabalho relataram a mesma coisa. "Sempre que a banda excursionou (na Austrália), Simmons ofendeu a maior parte das jornalistas mulheres - e alguns homens também - com referências constantes às partes do corpo das australianas, além de outros comentários sexistas", destacou ela, no artigo de décadas atrás.

McCabe destacou que muitas profissionais não denunciam tais comportamentos de famosos por medo de perderem seus empregos. "Essas pessoas (que denunciam) são facilitadoras que, talvez, estejam temendo por seus empregos. Haviam empresários durante a entrevista que fiz com ele e que ouviram o que ele falou. Um ficou horrorizado, outro sugeriu que é apenas a forma que o KISS segue", afirmou.

Outras acusações

Recentemente, Gene Simmons foi acusado, em via judicial, por assédio sexual por uma jornalista que trabalha em uma rádio dos Estados Unidos.

Segundo o site TMZ, a jornalista, que não permitiu sua identificação, moveu um processo contra Gene Simmons após um evento, realizado em novembro deste ano, em um restaurante na Califórnia. Na ocasião, a profissional trabalhava na cobertura do evento.

De acordo com a jornalista, Gene Simmons forçou as mãos dela sobre os joelhos dele, colocou as mãos dele no pescoço dela e fez comentários inapropriados. Tudo isso teria ocorrido enquanto ela o entrevistava. Além disso, o músico é acusado de ter apalpado as nádegas da jornalista durante uma foto coletiva.

Em resposta nas redes sociais, Gene Simmons negou as acusações da jornalista. "Não assediei a pessoa que fez essa acusação, como foi alegado na queixa, nem a prejudiquei de qualquer maneira [...] Estou conversando com meus advogados com o objetivo de combater rigorosamente essas alegações. Aguardo ansiosamente o dia no tribunal em que as evidências provarão minha inocência", afirmou.

Em novembro, Gene Simmons havia sido acusado de assédio sexual por duas mulheres por meio das redes sociais. Uma delas é a dubladora americana Mary Elizabeth McGlynn. No entanto, a alegação da jornalista americana é a primeira a pautar uma ação judicial.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.