sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

No fim, Black Sabbath só tocava músicas que Ozzy conseguia cantar
sexta-feira, dezembro 01, 2017


O guitarrista Tony Iommi disse, em entrevista ao Guitar World, que o retorno do Black Sabbath aos palcos, na última década, só envolveu uma lista de músicas que Ozzy Osbourne conseguia cantar. Essa mesma perspectiva foi utilizada para a montagem do repertório do último show da banda, que foi gravado e lançado no DVD "The End".

Ao ser questionado sobre o repertório do último show, Tony Iommi disse: "Queríamos tocar as clássicas, então não mandamos nada do nosso último álbum, '13'. Gostaria de poder tocar algumas músicas que não apresentávamos há muitos anos como 'Hole In The Sky' ou 'Sympton Of The Universe', mas só podíamos tocar músicas que Ozzy conseguisse cantar".

Iommi destacou que não teve a intenção de criticar Ozzy Osbourne ao comentar sobre o assunto. "Não estou faltando ao respeito com ele. Quando gravamos estas músicas há 30 anos, os tons eram muito altos. Sem chances de ele ainda conseguir emitir aquelas notas. Mas teria sido muito legal tê-las no set", afirmou.

Ainda segundo Tony, não era possível abaixar mais o tom dos instrumentos para introduzir músicas mais complicadas para canto. "Eu já havia mudado (a afinação), então se ajustasse ainda mais, as cordas ficariam frouxas, como se fossem de borracha. Abaixamos a afinação nas últimas duas turnês que fizemos com Dio, mas foi apenas meio tom. Mas, deixando claro, ninguém está chateado com Ozzy. É impossível alguém da idade dele cantar como fazia quando garoto", disse.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.