quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Paul Stanley reforça que o Kiss pode continuar sem ele
quinta-feira, fevereiro 08, 2018


O vocalista e guitarrista Paul Stanley voltou a dizer que sua banda, o Kiss, pode seguir sem ele. Em entrevista à Billboard, o músico pontuou que o trabalho construído é "tão icônico" que "transcende seus membros".

"O pensamento de eu não estar envolvido, certamente, vem à mente. Não tenho certeza sobre a ideia do Kiss chegar ao fim. Construímos algo tão icônico e penso que transcendeu qualquer um dos membros, então, posso certamente não me enxergar por lá no futuro, sério", afirmou.

Stanley disse que muitos não acreditavam que o Kiss poderia seguir sem dois de seus integrantes originais - o guitarrista Ace Frehley e o baterista Peter Criss. "Houve uma época em que as diziam que tínhamos de ser só nós quatro (Stanley, Frehley, Criss e o baixista e vocalista Gene Simmons) e essas pessoas já estão 50% erradas. Então, aposto que outras ausências também podem ser superadas", comentou.

Em outro momento da entrevista, Paul Stanley deu a entender que, atualmente, tem mais tempo para seus trabalhos com artes visuais - além de músico, ele também é pintor - do que para o Kiss. "Não quero sair de casa. Tenho família, filhos e, honestamente, acho que a minha responsabilidade principal é ser um pai,e não quero perder isso. Conforme envelhecemos, percebemos que a vida terá um fim e sou eu que escolho o que quero fazer agora", disse. Apesar disso, o Starchild espera que uma turnê mundial seja feita em breve, embora ele destaque que não sabe quantas mais ele conseguirá fazer.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.