quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Quincy Jones critica os Beatles e chama Michael Jackson de ganancioso
quinta-feira, fevereiro 08, 2018


Notável por seu trabalho com Michael Jackson, Frank Sinatra e Miles Davis, entre outros, o produtor Quincy Jones fez duras críticas aos Beatles, a Elvis Presley e até a Jackson, seu antigo parceiro de trabalho. As declarações polêmicas foram concedidas à revista GQ e ao site Vulture.

Com relação aos Beatles, Quincy Jones disse que teve uma péssima primeira impressão da banda. "foi de que eles eram os piores músicos do mundo. Eles eram f***** da p*** que não tocavam. Paul (McCartney) é o pior baixista que eu já ouvi. E Ringo (Starr, baterista)? Nem me fale", afirmou.

Jones também revelou uma história particular envolvendo os Beatles. "Eu me lembro no estúdio com George Martin, Ringo levou três horas para uma música de quatro compassos. Ele não conseguia", disse. Em seguida, Quincy afirmou que um músico de jazz foi chamado e gravou em 15 minutos e depois Ringo ouviu a música pronta. "Ringo disse: 'Até que não ficou tão ruim'. E eu disse: 'Claro, f**** da p***, porque não é você'. Ele é um cara legal, mesmo assim", contou.

Sobre Elvis Presley, Quincy Jones contou uma história em que o trompetista Tommy Dorsey não aceitou tocar com Elvis Presley por ele "não saber cantar". "Estava com Tommy Dorsey quando Presley apareceu aos 17 anos. E Dorsey disse: 'F*da-se, não vou tocar com ele.' Ele não deixou sua banda tocar com ele. O f**** da p*** não sabia cantar", afirmou.

Os comentários sobre Michael Jackson foram mais pesados e envolveram acusações de roubo criativo. "Odeio falar sobre isso publicamente, mas Michael Jackson roubou muita coisa. Ele roubou muitas canções. 'State of independence' (de Donna Summer) e 'Billie Jean'. As notas musicais não mentem. Ele era maquiavélico (...) Ganancioso, ganancioso. 'Don't stop till you get enough', Greg Phillinganes (tecladista) escreveu uma parte. Michael deveria ter dado 10% da música. Não queria", disse.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.