quarta-feira, 28 de março de 2018

Autópsia de Prince relata taxa "altíssima" de opioide em seu corpo
quarta-feira, março 28, 2018


Morto em 2016, o músico Prince continha uma concentração "altíssima" do opioide fentanyl em seu corpo, conforme indica sua autópsia. Ele faleceu, aos 57 anos, vítima de uma overdose acidental do medicamento em questão.

A informação sobre a autópsia foi divulgada pela Associated Press. O relatório afirma que havia 67,8 microgramas de fentanyl por litro de sangue no corpo de Prince. Casos fatais já foram constatados com concentrações de 3 a 58 microgramas por litro.

Vício em remédios é 'uma doença cruel', diz Flea, do Red Hot Chili Peppers

Além disso, Prince tinha, em seu fígado, 450 microgramas por quilo de fentanyl. Casos de overdose já foram registrados a partir de 69 microgramas por quilo.

Considerado 50 vezes mais forte do que a heroína, o medicamento fentanyl não tem, exatamente, uma dose "letal". O corpo da pessoa que o consome pode criar tolerância após algum tempo - e são esses casos em que a overdose se torna um risco ainda mais concreto.
Categoria:
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.