quarta-feira, 21 de março de 2018

Pearl Jam investe na Amazônia para reduzir impactos do CO₂ no Brasil
quarta-feira, março 21, 2018


O Pearl Jam se ofereceu, de forma voluntária, para investir no reflorestamento da Amazônia, localizada de forma majoritária no Brasil. A banda firmou uma parceria com a Conservation International (CI) Brazil para compensar as emissões de carbono durante a tour pelo país, que inclui shows no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de performances solo do vocalista Eddie Vedder.

Estima-se que a turnê do Pearl Jam pelo Brasil será responsável pela emissão de 2,5 mil toneladas de dióxido de carbono (CO₂) a partir de distintas atividades. Para compensar o dano, a banda destinará, aproximadamente, US$ 50 mil para o projeto da Reserva do Uatumã, localizado no estado do Amazonas.

Com o dinheiro investido pelo Pearl Jam, serão plantadas 20,6 mil árvores. A área utilizada será de 8 hectares, o equivalente a 80 mil metros quadrados.

"O investimento vai beneficiar, diretamente, 27 famílias, empregando 300 pessoas para coletar sementes, trabalhar em cuidados de enfermagem, agricultores e técnicos agrícolas", afirmou Rodrigo Medeiros, vice-presidente da CI Brazil, em entrevista ao Mongabay.

Não é a primeira vez que o Pearl Jam promove uma atitude desse calibre. A banda já realizou outras parcerias com as unidades da CI de outros locais para suas turnês na América Latina, em 2015, e nos Estados Unidos, em 2016.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.