domingo, 25 de março de 2018

'Se você é racista, misógino ou homofóbico, o QOTSA não é para você', diz Josh Homme
domingo, março 25, 2018


O frontman do Queens Of The Stone Age, Josh Homme, falou sobre preconceito em depoimento ao documentário "#NoJoke" (transcriçaõ via Alternative Nation). O filme, dirigido por Manfred Becker, debate o bullying na sociedade e também tem participações de Slash, Ozzy Osbourne, Meat Loaf, Steve Vai, Julian Lennon, Chad Smith, Lemmy e Patrick Stewart, entre outros.

Em sua participação no documentário, Josh Homme disse que sempre buscou tirar os bullies - pessoas que praticam bullying - de seu público. "Não os quero conosco. Nossa música não é para vocês - se você é um idiota racista, misógino, homofóbico, não somos para você, pode sair", afirmou.

Josh Homme chuta fotógrafa durante show do Queens Of The Stone Age

O líder do QOTSA encorajou que as pessoas que sofrem bullying busquem por ajuda. "Se houver alguém para você, como um famíliar, amigo ou alguma pessoa em posição similar que tenha empatia, essa pessoa entenderá. Nunca está perdido", disse.

Além disso, o músico destacou que o bullying na internet deve ser ignorado. "Tenha cuidado com o que coloca na internet e se está sofrendo bullying na web, deixe para lá. Há um mundo inteiro que não está conectado à internet. [...] Nunca leio coisas sobre mim na internet e o motivo é que não importa. Não muda o que foi feito, nem o que será feito. Quem se importa com o Facebook, cara? Se você tem uma vida de verdade, isso não precisa ser um componente da sua vida caso você esteja sofrendo bullying", afirmou.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.