quarta-feira, 16 de maio de 2018

Viúva critica investigação sobre a morte de Chris Cornell
quarta-feira, maio 16, 2018


Vicky Cornell, viúva de Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave), fez críticas ao médico legista que conduziu a investigação sobre a morte do vocalista, que cometeu suicídio em maio do ano passado. Conforme dito por ela em entrevista ao Detroit News, a apuração feita sobre o falecimento "fracassou".

Segundo Vicky, a decisão do médico legista de que "as drogas não contribuíram para a causa da morte" levou a "todo tipo de falsas acusações" tendo a submetido "a constantes ataques online". "Isso deixou a mim e à minha família ainda em busca de respostas, mas, ao mesmo tempo, desencadeou este turbilhão de conspirações. Algumas pessoas são só fãs procurando respostas, mas outras são teóricos da conspiração que disseram coisas cruéis para os meus filhos e para mim", disse.

- Relatório policial descreve últimas horas e morte de Chris Cornell

Para Vicky, a autópsia do médico legista que determina que as drogas não contribuíram com a morte de Chris Cornell foi "completamente enganosa". "A escolha ruim das palavras tem levado o público a acreditar que ele tinha mente e corpo saudáveis", comentou.

Ainda de acordo com a viúva, algumas teorias da conspiração - incluindo acusações de que ela queria que seu marido morresse - e os comentários maldosos na internet afetaram sua família. "Somos seres humanos. Isso é vida real. Não somos personagens em um filme. Perdi meu marido. Minhas crianças perderam o pai. Sentimos muita dor e temos que lidar com essas pessoas vindo atrás de nós. Se a autópsia tivesse um relatório minucioso, acredito que algo disso poderia ter sido evitado", afirmou.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.