domingo, 25 de fevereiro de 2018

'O metal ainda é dominado por homens', diz Cristina Scabbia, do Lacuna Coil
domingo, fevereiro 25, 2018


A vocalista do Lacuna Coil, Cristina Scabbia, comentou, em entrevista à Metal Hammer, sobre o rótulo "female-fronted metal" ("metal de vocalistas mulheres", em uma tradução mais básica), bastante usado no exterior para descrever grupos cujas vozes são de mulheres. Durante o bate-papo, a cantora também pontuou que o heavy metal ainda é dominado pelo sexo masculino.

Questionada sobre o rótulo "female-fronted metal", Cristina Scabbia disse que sequer pensa sobre tal segmentação. "Fazemos o que fazemos sem pensar que há uma mulher na banda. Sinto-me como um dos caras. Sei que é fácil dizer 'female-fronted band', porque precisa-se colocar tudo em categorias, mas nunca pensei assim, nunca senti nenhum tipo de pressão e acho que nem os caras da banda sentiram", disse.

Scabbia discorreu sobre o cenário heavy metal - segundo ela, dominado por homens - ao ser perguntada sobre iniciativas que poderiam ser tomadas para inserir mais mulheres às músicas. Embora tenha reconhecido que a situação está mudando, o panorama geral ainda é dominado pelo sexo masculino, de acordo com a vocalista.

- Leia: O heavy metal é racista, machista, xenofóbico, homofóbico e intolerante com religião

"No metal, agora, as coisas estão realmente diferentes. Quando comecei, existiam poucas bandas com uma mulher na formação, seja cantora ou musicista. Agora, as coisas mudaram e vejo várias bandas com uma mulher chegando. Acho que o único problema é que o metal ainda é um cenário dominado por homens, então, há mais bandas com caras na formação. Não penso que seja algo sexista, do tipo: 'não queremos mulheres por aqui'. Acho que é, simplesmente, porque há mais bandas com caras", afirmou.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.