quinta-feira, 1 de março de 2018

Charlie Watts não se incomodaria com o fim dos Rolling Stones
quinta-feira, março 01, 2018


O baterista Charlie Watts disse, em entrevista ao jornal The Guardian, que não se incomodaria se os Rolling Stones encerrassem suas atividades. O músico, de 76 anos, está na banda desde um ano após a sua fundação, em 1963.

"Amo tocar bateria e amo tocar com Mick, Keith e Ronnie. Não sei deles. Eu não ficaria incomodado se os Rolling Stones falassem: ' é isso, chega'", afirmou.

Por outro lado, Watts admitiu que seu futuro seria incerto com um possível fim dos Stones. "Não sei o que faria se eu parasse. A grande questão para mim é estar bem o bastante. Por sorte, não trabalhamos como costumávamos. Existem grandes pausas entre cada show", disse.

Charlie reforçou que gostaria de um fim amigável. "Odiaria dissolver de forma não amigável. Gostaria que Mick, eu ou Keith dissesse 'não quero fazer isso mais', por uma razão qualquer, e os demais apenas falassem 'é isso'. Não gostaria de entrar em uma discussão", afirmou.

Watts também pontuou que não faz tantos planos para o futuro. "Para mim, eu quero conseguir estar em pé no domingo, 8 de julho, no final do show em Varsóvia (Polônia). É o mais longe que eu posso ver", disse ele, que ainda afirmou não ter ideia se a atual turnê dos Stones, que passará pela Europa, será a última ou não.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.