terça-feira, 29 de maio de 2018

Dizzy Reed admira mais Axl Rose após ter que cantar em seu disco solo
terça-feira, maio 29, 2018


O tecladista Dizzy Reed, do Guns N' Roses, lançou neste ano seu primeiro disco solo, intitulado "Rock 'N Roll Ain't Easy", onde também assume os vocais. E, em entrevista ao Metal Wani (transcrição via Blabbermouth), o músico disse que cantar "é ruim" e "muito difícil" e expressou sua admiração por Axl Rose, vocal e líder de sua banda de origem, por assumir a função.

Inicialmente, Reed destacou a diferença entre os shows com o Guns N' Roses e com seus projetos paralelos, como sua banda solo e o Hookers & Blow, grupo que toca covers. "Quando são em clubes, bebo mais. Definitivamente, durmo menos e as acomodações de viagem são bem diferentes. É tudo rock and roll para mim. [...] Com o Guns N' Roses, obviamente, não tenho que cantar tanto. Com o Hookers & Blow e minhas coisas, canto em tudo", afirmou.

Dizzy Reed diz que nem o McDonald's o empregaria

Em seguida, Dizzy disse que "cantar é uma porcaria". "É muito difícil, cara. Se você tem outras opções, faça isso. Comecei a cantar com 12 anos. Comecei minha primeira banda e eu era sempre o vocalista, até os 20 anos. Não aguentava mais. Havia muita pressão e eu não sabia cantar de verdade naquela época, mas estava tocando teclados, então, pensei em tentar para ver onde isso me levaria", pontuou.

Por fim, o tecladista fez elogios ao "patrão" Axl Rose por ser o vocalista do Guns N' Roses. "Sempre tive minha voz como um meio de expressão e parte do meu processo de composição. Está aí, concordei em fazer isso. Mas toda essa experiência está me fazendo ter mais apreço por quão bom Axl é, em particular. É incrível", afirmou.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.