sábado, 26 de maio de 2018

Krist Novoselic reforça que o Nirvana queria, sim, a fama
sábado, maio 26, 2018


O baixista Krist Novoselic destacou, em entrevista à "Kerrang!", que o Nirvana queria, sim, a fama, diferente do que muitos rumores indicaram ao longo dos anos. Boatos apontavam que a banda era avessa ao sucesso que havia conquistado, especialmente no caso de Kurt Cobain, que cometeu suicídio em 1994 e, em sua carta de despedida, dizia que subir ao palco era como "bater o cartão de ponto".

Novoselic reforçou que, apesar de sua atitude punk rock, ele queria fazer sucesso com o Nirvana. "Nós queríamos. Gostávamos de tocar juntos. Era a nossa salvação, na verdade. Amar música pop, não ser dogmático e tentar ter vários tipos de músicas era importante para nós. E tentar se divertir o máximo possível. Tínhamos senso de humor. A música poderia ser obscura, intensa, e, às vezes, leve e melódica. Talvez essa tenha sido a chave", disse.

- Ex-funcionário do Nirvana fala sobre "péssimos" shows no Brasil

Em seguida, o entrevistador apontou que quando conheceu Kurt e Krist em 1989, eles disseram que queriam estar na maior banda do mundo. Em resposta à pergunta "Era assim mesmo que você se sentia?", Novoselic respondeu: "Acho que Kurt sentia isso mais do que eu. Ele chegou lá e, então, odiou. Mas ele sempre foi assim. Acontecia sempre", disse.

Questionado se o sucesso de "Nevermind" foi um exemplo de "cuidado com o que deseja", Krist Novoselic respondeu afirmativamente. "Realmente, foi. Havia muita pressão também. E, claro, o que aconteceu foi muito difícil de se lidar para todo mundo", afirmou.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.