terça-feira, 5 de junho de 2018

Blaze Bayley adoraria subir no palco de novo com o Iron Maiden
terça-feira, junho 05, 2018

Foto: Terje Johansen / Divulgação
O vocalista Blaze Bayley disse, em entrevista à revista "Rock Candy", que "adoraria" subir no palco novamente com o Iron Maiden. O cantor destacou que está sempre pronto para um convite da banda.

Bayley falou sobre o assunto após ter sido apontado que, em 2019, sua entrada no Iron Maiden completará 25 anos. Ele integrou a banda, substituindo Bruce Dickinson, entre 1994 e 1999, e gravou os discos "The X Factor" (1995) e "Virtual XI" (1998).

- Blaze Bayley fala de novo disco, Iron Maiden e Brasil em entrevista exclusiva

"Estou sempre pronto, se a ligação chegar. Sempre houve um bom relacionamento entre a banda e eu, então, não é problema. E sei que há alguns fãs que ficariam felizes em ver isso acontecer. Hoje em dia, há tantas turnês de aniversário acontecendo, então, talvez, exista a chance de algo acontecer no futuro", afirmou.

Blaze destacou, ainda, que sua fase no Iron Maiden tem sido bem mais apreciada nos dias de hoje. "Isso é, em parte, porque os discos que fiz com a banda foram reavaliados e as pessoas que os detestavam antes, admitem, hoje, que são realmente bons. [...] Para certas pessoas, eu nunca seria o cara certo para cantar no Maiden ?. Mas para outros fãs, Bruce Dickinson nunca foi a pessoa certa para liderar a banda após Paul Di'Anno. A maioria é muito positiva sobre o meu tempo na banda, no entanto", disse.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.