terça-feira, 26 de junho de 2018

'Se o Big 4 tivesse um filho, seria o Pantera', diz baterista do Anthrax
terça-feira, junho 26, 2018


O baterista do Anthrax, Charlie Benante, lamentou a morte de Vinnie Paul, ocorrida no fim da semana passada, em recente entrevista ao Loudwire. O músico falou sobre a importância do colega, que faleceu aos 54 anos, e de sua banda, o Pantera, para o universo do metal.

"Achava que Vinnie tinha um estilo bem diferente. Foi um dos principais elementos do som do Pantera. Vinnie também foi responsável por muita engenharia nesses discos do Pantera - ele achou uma maneira de manter as guitarras na frente, mas também para fazer sua bateria cortar através disso", afirmou.

- Leia: Como Vinnie Paul mudou a cara do metal na década de 1990

Benante destacou que os discos do Pantera são muito agressivos, mas com um som "muito bonito, porque dava para ouvir tudo claramente". "Como músico, isso, para mim, foi uma das coisas que eu mais apreciei: como ele se aproximou daqueles registros sonoramente. E quando você os via ao vivo, eles soavam exatamente daquele jeito", disse.

O músico disse que "se Metallica, Anthrax, Slayer e Megadeth (o Big 4 do thrash metal) tivessem um bebê, teria sido o Pantera". "O Pantera era como o Van Halen, renascido. Os irmãos (Abbott, Vinnie Paul e o guitarrista Dimebag Darrell), crescendo juntos e tocando juntos, como os irmãos Van Halen... isso é um presente dado por Deus", afirmou.

Ainda durante seu depoimento, Charlie Benante destacou que não só a sonoridade do Pantera era muito boa - as músicas se provavam também. "'Vulgar Display Of Power' foi o disco que os estabeleceu. As músicas são tão boas... eram músicas mesmo. Eram tão agressivas, mas eram músicas. É do que as pessoas sentem falta hoje: não vá pelo estilo, vá pela música. O Pantera era focado no estilo e na música", disse.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.
Igor Miranda Jornalista natural de Uberlândia (MG). Apaixonado por rock há mais de uma década, começou a escrever sobre música desde 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Co-fundou e integrou o site Van do Halen até o ano de 2013 - apesar de ainda manter uma coluna, chamada "Cabeçote" e publicada sempre nas noites de segundas-feiras. Atualmente é redator-chefe da área editorial do site Cifras, afiliado ao R7. Trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia entre 2013 e 2016.