Ex-empresário de Axl Rose contratou satanista para jogar feitiço nele?


Doug Goldstein, empresário do Guns N' Roses entre 1991 e 2008, acusou o seu antecessor na gestão da banda entre 1986 e 1991, Alan Niven, de "contratar um especialista em Satã" para "jogar feitiços" nele e no vocalista da banda, Axl Rose. A declaração de Goldstein foi feita por meio do Twitter.

Na rede social, Doug Goldstein fez um agradecimento em tom irônico a Fernando Lebeis, atual empresário do Guns N' Roses, por tê-lo deixado de fora dos agradecimentos do box set "Locked 'N Loaded", que celebra os 30 anos de lançamento do álbum "Appetite For Destruction" (1987). Além de contestar sua ausência nas liner notes do material, Goldstein disse que Alan Niven foi citado, mesmo tendo ficado poucos anos com a banda.

Por que Axl Rose não mudou nome do Guns N' Roses após Slash e Duff saírem

"Caras, vocês são SURREAIS! Niven esteve com o GN'R por três anos e contratou um especialista em Satã para lançar feitiços em mim e em Axl. Fiquei com Axl por 17 anos e mais do que dobrei a taxa de royalties da banda. Niven é lembrado com agradecimentos no novo box set e não há NADA me mencionando. WOW", afirmou.


Curiosamente, em uma entrevista concedida ao jornalista Mitch Lafon no ano de 2016, Alan Niven fez críticas a Axl Rose por aceitar tocar com o AC/DC, banda que usa "um par de chifres do demônio".

"Estou realmente desapontado por ver Axl tocar com o AC/DC e correr por aí com um par de chifres do demônio. Há uma velha máxima que tento seguir, que é: 'nunca defenda o diabo'. Então, por que comemorar seguindo seus passos? [...] Sempre achei que ele estivesse em uma busca espiritual, mas não acho que isso acaba estando no palco com alguém como Angus Young", afirmou, na ocasião.

Foto da matéria: Katarina Benzova / Instagram @gunsnroses
Ex-empresário de Axl Rose contratou satanista para jogar feitiço nele? Ex-empresário de Axl Rose contratou satanista para jogar feitiço nele? Reviewed by Igor Miranda on quinta-feira, novembro 29, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário